7 de abril de 2018

Quem é mesmo Kaysar Dadour?




A foto à esquerda foi feita há 10 anos, antes da tragédia que se abateu sobre a família de Kaysar e o obrigou a se refugiar em outros país, juntamente com Celine, sua irmã. A foto da direita mostra Celine com a tia (apontada pela seta na foto da família) que aparece na foto ao lado, já morta há 2 anos.
Esta foto da esquerda foi mostrava como prova de que a família de Kaysar está muito bem, fazendo festinhas familiares numa boaça. Ana Paula Renault postou-a levianamente e daí para a frente muitos fizeram a mesma coisa, no afã de desmoralizar Kaysar e sua família. Beleza, né? Muito edificante!

Diante de tantas invencionices acerca da família de Kaysar, inclusive com afirmações peremptórias de que seu pais de estariam em festas e muito feliz no Líbano, sua irmã, Celine, pediu que os pais mandassem uma foto recente que provasse que eles continuam em Aleppo. Aí está a foto dos dois, junto aos escombros, para provar que estão em Aleppo, capital da Síria, onde acontece a maior concentração da guerra. 

Amigos, vocês têm noção do quanto isso é pesado e desumano? Um casal vivendo os horrores de uma guerra insana e cruel, longe dos filhos, vivendo da ajuda do governo, passar pelo desgosto de saber que seus nomes honrados e o do seu filho estão sendo alvo de Fakes News sobre suas vidas destroçadas?  Que feio, heim, brasileiros? Muito feio mesmo!

De todas as acusações, sem fundamentos, que estão sendo usadas para denegrir Kaysar e fazerem dele um indecoroso impostor, a mais espantosa é a que tenta provar que ele é milionário na Síria e, também, no Brasil onde teria participação nos lucros da Plastlit, uma promissora indústria de tubos e conexões, sediada em Curitiba. Um hipotético tio de Kaysar ( Simão Abage) seria sócio dessa empresa. Kaysar, logo que chegou ao Brasil, ainda rapazinho, teria participação nesse patrimônio da abastada família Abage. 

A milionária família de Kaysar seria proprietária de uma cadeia de restaurantes em Curitiba (não citam o nome desses restaurantes, não mostram fotos, enfim: nada que comprove realmente a acusação. Kaysar estaria mentindo ao dizer que trabalha como garçom num desses restaurantes que pertence a sua família de impostores. Olha eleeee, carregando a bandeja! 



Os absurdos visando fazer de Kaysar uma pessoa desonesta, que está enganando a todos para se dar bem chegaram ao ponto de dizerem que os pais de Kaysar, Giorgio e Diane Abage teriam negócios no Paraná. 
Gente, a verdade é bem outra. Para começar, Nassib, a pessoa que o acolheu ao chegar ao Brasil, não é seu tio, é parente de sua mãe, ou seja: é primo em terceiro grau da mãe do rapaz, mero parente dele. Não tem cadeia de lojas, mas apenas uma loja [a tradicional Irmãos Abage Iluminação, no Centro de Curitiba]  em sociedade com o irmão Abdo Abajo. Portanto, esse senhor não é milionário, não é tio e Kaysar, mas primo em terceiro grau de sua mãe. 

Nassib, um senhor respeitadíssimo e comerciante conhecido por sua integridade moral, conta que Kaysar, depois da agressão sofrida na Ucrânia, decidiu vir para o Brasil. Ele escreveu uma carta para Abdo, na época cônsul honorário da Síria em Curitiba (função que qualquer sírio honrado pode exercer no Brasil), pedindo que o ajudasse, solicitando à embaixada do Brasil na Ucrânia, autorização para ele viajar para o nosso país. 
Com a autorização em mãos, o sírio pediu dinheiro emprestado ao patrão para a passagem e desembarcou no Brasil em julho de 2014. Embora os irmãos Abage fossem parentes de Kaysar, não eram próximos. “A última vez em que eu o vira antes de ele vir para cá, ele tinha 10 anos”, recorda Nassib. Em Curitiba, os irmãos decidiram hospedá-lo em um hotel assim que ele chegou, “para conhecer um pouco dos seus costumes”. Mas mantê-lo no hotel ficava muito caro. 
"Como eu moro aqui em cima da loja e havia um apartamento vago em cima do meu, sugeri para o meu irmão Abdo que a gente trouxesse o Kaysar para cá. 
Foi aí que a vida dele começou a mudar: “Ele começou a trabalhar aqui na loja, eu o fiz ter aulas particulares de português, ajudei-o a fazer um curso de hotelaria no Centro Europeu, de chef de cozinha no Senac, ele comia aqui em casa e eu comprava roupas para ele”, conta Nassib. 
Há uma foto, rolando por aí, de Kaysar trabalhando na Plastlist, sendo exibida como prova de que ele teria vindo para o Brasil para tomar posse de sua parte nesse pseudo patrimônio da família. Puro fake News. Ele está trabalhando, com outros rapazes, a troco de um salário. Foi seu primeiro emprego.
Quando a crise atingiu em cheio o negócio dos Irmãos Abage,  Nassib precisou demitir o protegido. Kaysar logo depois começou a trabalhar como garçom e barmam num hotel de Curitiba, sua última função antes de entrar no reality. O primo diz que continuou o ajudando a complementar a renda, já que o salário era insuficiente. 
Essa é a verdade sobre Kaysar e sua família. Portanto, também é mentirosa a informação de que eles estariam morando no Brasil, inventada para fazer o rapaz passar como um reles embusteiro que estaria enganando os otários brasileiros e até a Globo, com o blá, blá, blá de trazer os pais da Síria.
Se Kaysar foi milionário na síria, esse fato torna ainda mais louvável a forma humilde como vive no Brasil, sua capacidade de resiliência, sua extraordinária superação. Não tem como não amar esse rapaz de 27 anos com tão dolorosa bagagem de dores e padecimentos. 
Se ele fosse rico, sócio da Plastilist, mesmo assim, por que não poderia ganhar o prêmio do BBB18? Quem disse que o BBB é casa de caridade para pobrinhos? A Porta da Esperança nem no SBT existe mais!
Dizem, também, que Kaysar, o sírio milionário, nunca trabalhou como animador de festas. Peraí, Sônia Abrão mostrou, ontem, um vídeo feito pelo SBT que o mostra, como Aladim, num evento realizado em um resort de São Paulo. Silvio Santos até interage com Kaysar e a sua jovem parceira. O show que ele protagonizou está aí, sendo mostrado e provando que ele não mente, que ele é pobre e luta honestamente por sua sobrevivência. Respeito é bom e não mata quem o usa com os outros.
Nada tem a ver a vida dos participantes do BBB18 e de suas famílias fora da casa onde estão confinados. 
O que tem a ver, se os Parentes de Kaysar têm lojas em Curitiba, se têm dinheiro? NADA! Quem é rico e têm bens são essas pessoas, não Kaysar, este exerce profissões humildes, é um assalariado. Essas pessoas não têm nenhuma obrigação de bancar a viagem dos pais dele para o Brasil. Já foi muito o terem acolhido e ajudado a estudar (para quem não sabe, Kaysar cursa o terceiro período na faculdade de administração, curso que interrompeu ao sair da Ucrânia) a arranjar emprego e a ter um teto. 
A verdade única, irrefutável e comprovável é que Kaysar é um mero garçom, um barmem, um animador de festinhas infantis, que vive abrigado em apartamento que Nacib, um generoso parente afastado, deu para ele ter seu cantinho.

Conversando longamente com Gleici, Kaysar falou sobre algumas coisas que já aconteceram na sua vida e esclareceu sobre os motivos que fundamentam sua discreta e silenciosa atitude em relação aos pais: "Minha família está lá. Tenho que cuidar muito das minhas palavras. Eles não vão fazer nada comigo: eu estou aqui, mas eles estão na guerra". Gleici ouviu atentamente e compreendeu a realidade de Kaysar. Conseguiu transcender aos maledicentes comentários de Ayrton e Wagner contra Kaysar, e à irreprimível antipatia de Ana Clara pelo sírio. 
Gleici, uma moça tão jovem, teve a grandeza humana de defender Kaysar, quando este foi acusado de ser rico por Ayrton e Wagner, dizendo: “mesmo que ele fosse rico, isso não quer dizer que ele não teve uma vida triste! ” 
Ela parece estar começando a enxergar certas coisas não muito corretas nas atitudes da Família, dando sinais de que está mais próxima de Kaysar do que se pensa. Ontem, na festa, ela fez uma observação curiosa para Ana Clara sobre Kaysar, enquanto ele dançava: " Kaysar está muito bonito dançando!"  Ana Clara torceu a boca e a acreana ficou em silêncio.  
Gleici ganhou milhões de pontos comigo ao revelar uma respeitável inteligência emocional e a honestidade de defender seu concorrente. 
Gleici, a mocinha do Acre, tem um olhar social sobre o mundo, sobre a vida e sobre as pessoas que a filhinha estudada de Ayrtom está longe de ter. Isso é de sua natureza, tem suas raízes fincadas no terreno fértil das suas próprias experiência existenciais, do seu engajamento com a militância de cunho socialista do PT. Mesmo sem ter tido as oportunidades que teve Ana Clara, ela é uma pessoa muito melhor e, por isso mesmo, é merecedora de chegar à final de mãos dadas com Kaysar e Viegas. Torcendo para que Viegas fique na casa!
Gleici de fadinha nada tem. Ela, por dentro, é uma mulher adulta e com idéias próprias. Ela revelou-se uma pessoa dotada de um espírito superior, acima da cobiça, acima da ganância, acima de picuinhas por dinheiro, ao ponto de defender o seu concorrente e forte adversário no jogo. Ganhou minha torcida, Gleici!

Noutra postagem, comentarei o mais recente e mais ridículo bafão levantado pela turma da oposição contra Kaysar: A JAQUETA DOLCE & GABANNA! 
Postar um comentário