28 de março de 2018

GRITA, KAYSAR, ARREBENTA NOS GRITOS! GRITA MAIS, GRITA!


Ontem, eu vi uma das cenas mais inesquecíveis de minha vida: aqueles gritos de Kaysar! Aqueles gritos que pareciam ser de libertação, que saiam de dentro do mais profundo de sua alma, pondo para fora um amalgama de sentimentos há muito tempo guardados dentro de si, insuportavelmente pedindo para saírem. E dentre esses sentimentos o único que ele não podia deixar aparecer era a DOR existencial que existe dentro dele, abafada heroicamente pela força de sua ânsia de ser feliz.
Aquilo, para mim, foi a expressão mais comovente da mais intensa e lacradora alegria, pisando forte na tristeza que, como uma tensa corda de violino estendida, entre os polos da vida e da morte, da paz e da guerra, da alegria e da tristeza vibravam tão dolorosamente em sua alma, que nem permitiam que as lágrimas aflorassem. 
E mesmo assim, vi o brilho de alguma lágrima fugitiva em sua face. 
Ah! Se aquelas mentes obtusas e vazias pudessem compreender os sentimentos de Kaysar, o porquê de ele está sempre hiperativo, barulhento, alegre, até com os que sabe que são falsos. 
Ninguém ali dentro daquele antro de sombrias energias consegue perceber que ele sofre muito mais intensamente a vida, quando fica sozinho com seus pensamentos e calado. 
Talvez Jéssica já tenha captado as nuances mais ocultas dessa alma linda, desse ser bondoso e tão simples, com tantas coisas a expressar, mas ainda limitado por seu vocabulário reduzido. Ela soube ser discreta, ficou esperando que ele botasse para fora o que precisava para fiar bem. E foi dela o abraço mais caloroso e sincero, mais afetuoso e fraterno.


Aquele era o seu momento especial. O da certeza de que seu sonho de trazer os pais para perto de si não estava morto, que ainda havia chances de continuar sonhando e acalentando a esperança de ter sua família e sua vida de volta. Era seu momento de reconhecimento aos que votaram para ele ficar. Imagine se ele soubesse que levou menos de 7% dos votos das torcidas contra ele.
Muitos não compreenderam, os mais pobres de espírito o criticaram e teve até quem se ofendesse porque ele quis ficar sozinho e saiu vituperando e falando mal dele, (que feio, Gleici, onde ficaram seus estudos de psicologia?), outro já afirmando para Breno que Kaysar e Gleici merecem o próximo paredão (que sinceridade, heim, Ayrton?Beleza!), enquanto os únicos amigos que ele tem na casa, esperavam pacientemente distanciados para mais um abraço: Jéssica e Viegas (este ficou abalado com a saída de Caruso). 
De sentimentos, aqueles falsianes não entendem nada! Sabiam que as câmeras estavam voltadas para Kaysar e apressaram-se em dar um vetezada. Não faltaram abracinhos e tapinhas nas costas (Ana Clara, Gleici, Paula e Ayrton), apesar de já o terem abraçado na sala.  Wagner deve ter tido uma crise de caganita por seu indicado ter ficado na casa e foi ao banheiro.
Gente, aquele era o momento dele, apenas dele! Ele queria extravasar a adrenalina acumulada  sozinho, e  Ayrton quis se meter, ser o amigão, ficar bem na fita. Esse oportunista sempre tentando vetezar. Como não conseguiu, ficou pondo seu veneno para fora, reclamando para Wagner sobre a atitude "ofensiva" de Kaysar
Airton é um aproveitador! Ele quer sempre tirar vantagem de Kaysar! Não engulo e nem vou engolir esse embuste, jamais! 

E, eu, emocionada dizia cá com as minhas chaminhas: Parabéns Kaysar! É isso aí, mô fio querido, faça o que Cláudia Leite deve estar cantando para você, mô fio: “grita, extravasa, libera e joga tudo pro ar! Eu quero ver você feliz e mais nada!” 
Deixa, mô fio, que digam que você é doido, deixa e confia naquele mestre da psicologia humana que dizia para seus alunos: “doido é quem perdeu tudo, menos o domínio da razão! ” 

Depois de ter pedido para o vetezeiro Ayrton se afastar, num gesto angustiado com as mãos,  quando acalmou-se, Kaysar foi se explicar com o pseudo-amigo (parte-me o coração ver a ilusão de Kaysar, acreditando que aquele embuste é como um pai dentro do vespeiro), o motivo de ter querido ficar sozinho: “era o meu momento, estava tremendo, estava louco, precisava ficar sozinho”. 
Imagine se Kaysar soubesse que antes disso, Ayrton fez o que sabe fazer de melhor, foi detoná-lo para Breno que, apesar de avoadinho, entendeu perfeitamente o momento do Kaysar e cortou as lamúrias do linguarudo. Depois foi criticá-lo para Wagner ( fulo porque foi cortado do VT).  Não engulo e nem vou engolir jamais esse ardiloso! Raivoso por ter sido afastado, Ayrton ficou, como um adolescente canalhinha, fazendo tensão psicológica em Kaysar, dizendo: GRITA MAIS KAYSAR, GRITA! É muita podridão desse homem...
Como a volta de um paredão valoriza uma pessoa para os medíocres da casa. Vai vendo Gleici (tipo, tipo, tipo, tipo) agora de manhã, no terraço, no maior papo com Kaysar, "tipo" trocando experiências, "tipo" sendo simpática e "tipo" sendo educada. Meo deooooos! É i-na-cre-di-tá-vel!
 Ela ouvindo, prestando atenção às boas palavras de Kaysar sobre tolerância e aceitação com as diferenças, inclusive sobre votos e jogo. Se está sendo sincera não sei. Não acredito em milagres. Se até antes  da eliminação ela estava com caras e bocas para ele, torcendo para que saísse, como pode estar agora querendo ser sua amiguinha de infância? Falsa!
Não consigo acreditar em uma palavra que essa arrogante está dizendo, depois que Kaysar voltou do paredão. Nera ele que não podia ganhar o BBB porque não é brasileiro, nera? Que raio de falsidade é essa agora, florzinha? Me engana que eu gosto! Deixa sua demagogia para as campanhas do PT. 
Essa é a cena que eu gostaria de ver na noite do encerramento do programa: Kaysar e Jéssica entrando na passarela vitoriosos. Sonhar é de graça, né? E faz um bem danado!

ATENÇÃO! Preparem-se para verem Kaysar no próximo paredão e no seguinte. Os covardões vão votar nele para se livrarem da eliminação, Coitados dos que forem com ele, já que os paredões passarão a ser duplos, como avisou Tiago.

Gente, eu li tantas interpretações dessa cena, completamente opostas à minha, que cheguei a pensar que estou vendo outro BBB ou desaprendi tudo acerca da natureza humana. 
Graças a Deus, vi Sonia Abrão dizendo o mesmo que eu disse, com outras palavras. Então estou certa. A explosão de Kaysar não foi de ÓDIO, de RAIVA nem representou a queda da máscara da bondade que ele estaria usando para enganar os outros. Adorei rever a cena completa novamente e, gostei mais ainda de ouvir o que a convidada (uma psicóloga?) de Sônia disse em sua análise da cena. Maravilhosa análise. Obrigada Sônia! 
O que eu não havia prestado atenção foi Ana Clara e Gleici imitando os gritos dele. Deboche tem hora! Que coisa feia! Deprimente!
A história do ódio, só quem viu foi o maldoso Ayrton, foi ele, que enraivecido, disse que "viu nos olhos de Kaysar o ÓDIO!"  Deus que o perdoe, Ayrton! Que o público aqui fora seja caridoso com você, depois que sair da casa onde aprontou ceninhas bem calientes com quem não devia, né Papito?
Postar um comentário