3 de novembro de 2017

O que dá para chorar, também dá para rir! Vamos às risadas!


Meu povo, depois de uma boa noite de sono, de uma caminhada na praia, de uns bons mergulhos  nas águas morninhas do mar nordestino, esfriei a cabeça e, só agora, resolvi escrever alguma coisa sobre as acontecências no sitiozinho do Bispo Santo.
Conselho de quem já acompanha A Fazenda desde a primeira edição: esqueça a frustração da eliminação de ontem. Vamos levar essas coisas com espírito esportivo, pensando em nos divertir. O mundo já está tão pesado, estamos precisando é de dar risadas. Vamos aos trabalhos, ou seja: vamos às fofocalhadas...
Estava na cara que Carelli, depois de ter perdido Nicole, e ficar em fraldas de tanta caganica por ter perdido sua rainha, não iria deixar sua princesa Flávia sair e acabar com a divertida treta dela com o protagonista da edição. Sinceramente, quem não gosta das tretas entre os dois?  Apesar de não gostar dela, acho que ela é o que chamamos de "o mal necessário" para a dinâmica do jogo. Assim como Minerato também é. Os únicos e deliciosos barracos que tivemos até agora um desses três estavam envolvidos, salvo naquele de Marcos com Dinei e com Yuri. 
Flávia e Minerato não são, nem de longe, as protagonistas da bagaça, mas são as antagonistas necessárias para que o enredo de Marcos evolua. Aritana ia muito bem como coadjuvante. Nada mais em termos de construir uma história, embora tenha deixado a melhor das impressões ao seu respeito, a respeito do seu caráter, integridade, franqueza e lealdade. 
Marcos, achem bom ou achem ruim, é quem ocupa o lugar de protagonista. Ele incomoda, inspira raivas, provoca animosidades e paixões enrustidas, tem coragem de falar o que pensa e de peitar a produção. 
Gostava de Aritana, por merecimento ela deveria ficar, mas sabemos que quem decide quem sai ou quem fica é a mão grande de Carelli. Marcos, Flávia e Minerato não sairão tão cedo. Flatriz por ser a favorita do Diretor, de Justus e da Produção. O Doc porque está levando a edição nas costas, aumentando de forma nunca vista a audiência, as votações e dando imensas pautas, não apenas para a edição de A Fazenda como para o Sr. Porchatinho e o Sr. Mionzinho. Olha só que bacaninha! Como deixar escapar essa galinha dos ovos de ouro? Irão muitos antes desses três.
           
Convençam-se de vez, quem decide as eliminações é CARELLI. Ou será que ninguém viu as três últimas Fazendas e seus vencedores? A coisa acontece descaradamente, sem o mínimo constrangimento. Portanto, encarem o reality como divertimento, passa tempo e não como algo que envolva alguma seriedade e transparência, porque isso não existe em um programa que envolve lucros e audiência para a emissora. 
            

Notaram que a edição de ontem foi toda favorável à Flávia. Até a novelinha sem sentido e sem criatividade teve mais um capítulo ridículo, numa noite de eliminação. Querem imitar a Globo e sai um fiasco piramidal! O mais ridículo foi Justus dizendo que o romance (fake) está empolgando o Brasil... Peraí... Ainda estou rindo, foi a piada da noite! 
                                                                  
A novelinha sem pé nem cabeça, malfeita de fazer pena, com um grau de emoção igual a picolé de chuchu... Fala sério, Justus! Mais zelo com sua imagem! Está ficando feio, véi! Pagando Mico, como Emilly, véi?!

Até as perguntas para as duas roceiras foram capciosas, especialmente para Flávia, dando-lhe palco para mais uma encenação. Aí, foi aquele circo! O dramalhão mexicano explodiu no ar! Que prazer hemorrágico senti! 
Justus perguntou como Aritana se sentiu com a Rita tratando-a mal na roça anterior e o que Flávia acha que Marcos tem contra ela.
Duas perguntas dignas do Ministério das Perguntas Cretinas, pela obviedade das respostas, pois Rita e Aritana logo se entenderam e Marcos já disse e repetiu muitas vezes o que tem contra a mijona. Estamos carecas de saber e ele mais ainda.

Que coisa mais cut cut foi a menininha inocentinha dizendo que não sabia por que Marcos a tratava tão mal, que queria muito saber. É muito cinismo! Ela esqueceu que, como fazendeira, na primeira semana deu patadas e fez grosserias verbais de todo tipo com ele? Esqueceu que nem tarefa deu para o Doc? Esqueceu que ficava denegrindo-o pelas costas com Nicole e Matheus, dizendo que não o suportava? 


Não tenho como aplaudir uma pessoa tão fingida, mentirosa e farsante. Quase chorei de peninha dela, com tanta malvadeza do Doc vilão com a coitadinha mocinha da fita.
               
Num programa em que todos são tão amiguinhos de infância em colônia de férias, até me divirto muito com os afrontes de Flatriz com Marcos e vice-versa, do mesmo modo que acho uma piada os desaforinhos da Minerato, cheia de tesão pelo Doc. Que desespero! Que aflição está sendo para a Minezinha não ter beijo na boca, sentir-se rejeitada... Morro de peninha! 
Ao nervos andam tão à flor da pele no sítio do Bispo Santo que uma simples brincadeirinha de montar um cavalo deu lugar a um estrondoroso piti de Yuri, por ter sido provocado pelo grupo Ferro, especialmente pelo cover de Sérgio Malandro, sempre se achando muito engraçado! Tadinho! É um bom moço, só que tolinho, chatinho e exibidinho mais da conta. 
Yuri ficou de tal forma azuredado que nem conseguiu ler a ficha corretamente, esquecendo de dizer que todos haviam ganhado um prêmio de sorvete. Olha que delicinha! 


Furibundinho, Yuri foi para o dormitório, chamando Marcelo de otário, os dois começam a bater boca sobre isso, Veja só que babado delicinha: Uma treta entre dois galinhos de briga, hehehehe. 
                                            
Aí, a mamãe Rita tentou se meter na rinha, mas Yuri deu um tronitroante berro com a pobre senhorinha, que saiu de fininho com medo de levar umas bicadas do arrepiado galo alfa. 

É UM OTÁRIO MESMO! 

Quando, pensei que os dois haviam feito a paz, eis que o inefável, o macho alfa, o inoxidável Yuri me representa, falando nas fuças feiosas do cover de Sérgio Malandro: “você é chato, e não conhece os limites dos outros para aturarem sua exagerada quantidade de brincadeiras sem nenhuma graça. Lacrou!
Yuri ficou tão prostituto da vida que continuou esculachando com o babacoide Cover do Malandro para Monique, rotulando, com muito acerto, o coversinho sem graça de otário. 

Vai vendo outra piada: o moribundo grupo Fogo só tem Rita para representá-lo na Prova da Chave, tendo Marcos como ajudante... Hehehehe, Isso para confrontarem-se com Matheus e Marcelo do Grupo Ferro. Está na cara que quem vai levar esta, de lavada, será Matheus. Rita, se esforça, mas nunca consegue ganhar prova nenhuma. Tadinha, ela não faz corpo mole, mas o físico já não ajuda. Vai findar na baia mais uma vez, decerto com Marcos e Monique. Eu chamaria Monick e Matheus, para ver o circo pegar fogo com os ciúmes de Yuri. Ai, como sou cruel! 

                                               
Gente, essa história de que Flávia usa Marcelo, é conversa para boi dormir. Ele não tem nada de tolo, sabe muito bem o que está fazendo. Marcelo, mais que ninguém, tem consciência de que o namoro é pura conveniência. Porém, está de boa, usufruindo dos prazeres de alcova e aproveitando as vantagens de quem forma casal. Esse moço, filho único de pais muito ricos, não quis nada com os estudos, tem trabalhinho de faz de conta, imitando o decadente e chato Sérgio Malandro, curte muito a vida noturna, sem responsabilidades, apenas viu em Flávia a chance de se agarrar a uma mulher que também gosta do babado. 
Lembremos que no jogo da discórdia, ao ouvir o alerta do Doc sobre a cilada de namoro no confinamento, Marcelo afirmou que Flatriz não tem nada mais a lhe oferecer do que ele à ela. O que ele quis dizer com isso? Entendedores entenderão! 


Tem coisa mais patética que aquele riso de Justus, forçado, engessado, que apenas mostra os dentes? Até gostei dele em outros programas, como O Aprendiz e aquele outro, que já não lembro o nome, no qual fazia ótimas entrevistas.
Postar um comentário