27 de março de 2016

Apenas um bom moço chamado Ronan!



Hoje à tarde, liguei o PPV e a cena que vi, no quarto roxo, foi a de duas moças dormindo sem o mínimo cuidado com a compostura. Tanto Cacaulete como Munik estavam descompostas. A primeira deitada de costas, com as pernas arreganhadas. A segunda de ladinho, com a pijaminha curtíssima, deixando a calcinha à mostra. Agora, começo da noite, Cacaulete estava ainda na cama com um shortinho de dormir bem curtinho, semi deitada com as pernas arreganhadas. Ronan, que se trocava, veio até ela, pegou a manta e a cobriu. “Porque isso, Ronan?” disse a sonsa. “Sua calcinha está à mostra, menina!” 
Pois é, cenas como esta já vi aos montões. Respeito pelos homens da casa não conta? A cobrança é feita apenas em Ronan, agora acusado de todo tipo de nojeiras, quase rotulado de tarado, correndo o risco de ser tachado de estuprador por fazer brincadeiras com Munik, tentando dar beijo, abraçando... Enfim fazendo tudo quanto fazem jovens amigos que vivem juntos. Se ele fosse branco branco, será que haveria esse prurido alarmista? Por acaso, ela se esquivou de Renan e de Laham? Hipocrisia dos demônios! Ronan pode até estar sendo insistente e cansativo em suas abordagens afetivas com Pequi. Mas, nada que não possa ser resolvido com uma sincera e franca conversa. 
Ronan está caidinho por Munik, sente-se carente e nada mais natural que desejar “ficar” com ela. Qual é o problema? Por ele ser negro? Uai, ela mesma já disse que o bisavô era negro retinto, de cabelo enrroscadinho... 
Nunca vi tanta boataria calhorda tentando atribuir maldades hediondas e sórdidas taras ao rapaz, motivadas por mero desespero para desconstruí-lo aos olhos do público, notadamente pelas torcidas ensandecidas, quase todas formadas por adolescentes e damas do sofá, cegadas pelo racismo que move suas reles campanhas difamatórias. 
Ontem, depois da festa, o clima entre Ronan e Munik era de envolvimento carinhoso e amigo, como muito bem mostrou a edição deste sábado. 
Depois de ajudá-la a tirar o figurino e tentar em vão colocá-la para dormir, o estudante resolveu ir escovar os dentes, Munik foi atrás e começou a cantar "O Amor é Mais", de Belo, no ouvido do estudante. "Só descobri que te amo!", canta Munik, que completa: "Isso que eu queria te falar". Em seguida, entra para a cabine do banheiro, enquanto Ronan desabafa: "Quem dera fosse sério". Munik parte para a música "Tua Boca", também do cantor Belo. "Essa é bonita", elogia Ronan. Enquanto Munik está no banheiro, ele apoia a cabeça em uma parede. A goiana continua cantando bem alto. 
Gente, se Munik não gostasse, de verdade, do assédio do estudante não teria ficado nesse curruchiado tipo ternurinha, ainda mais sabendo que ele já se disse apaixonado por ela, quando tomou aquela homérica bebedeira e ficou doido de ciúmes ao vê-la dormindo com o Boy Magia. 
Depois, ele foi até a sala e se sentou no sofá com Munik. Esta lembrou as etapas da Prova do Líder e o avisou: "A gente tem que ganhar. Eu, você ou a dona Geralda". Ronan a ouviu e afirmou querer que seja ela a ganhar mais um ponto na prova. Em seguida, voltou a insistir para os dois irem dormir. A goiana, por sua vez, reitera que tem fé que irá até a Final do BBB16: "Eu acredito que eu vou para o Paredão, mas eu vou voltar. Eu vou para a Final, que é o meu sonho". 
Alguma coisa além da conta nesse tete a tete na madrugada? Ele tentou agarrá-la? Não. Essas brincadeiras, que podem até ser de mau gosto, ele só faz na presença de outras pessoas. Se fosse mal intencionado, atacaria nesses momentos em que estão a sós. Mas, ele a respeita! 
Tanto é assim que, na pista de dança, Munik estava comendo pipoca, enquanto Ronan dançava o sucesso "Nosso Sonho", da dupla Claudinho e Buchecha. Assim que a lindinha se aproximou, ele a agarrou por trás, erguendo-a e rodando com ela presa, que dizia: "Sai, menino...". Ronan soltou-a e começou a cantar a música no seu ouvido, encerrando com um beijinho no rosto. O que houve de desrespeitoso nesse gesto do rapaz? Tirou algum pedaço? 
Ronan tentou beijar a Munik duas vezes? E o que é que tem de indecoroso nisto? Tentar beijar é normal entre jovens... Beijam até quem não conecem nas baladas. Que fricote dos diabos é esse com as tentativas dele de dar beijos no rosto de Munik? É porque ele é negro? Hipocrisia dos demônios! 
Na sala, durante a festa, ele pediu um beijo a Pequi, e ela deu-lhe um na bochecha. Se estivesse tão desgostosas com o suposto assédio do rapaz, teria negado. Ora, ora: Ronan beija Geralda, beijava Cacaulete, Ana Paula. Quando bebe fica beijoqueiro. Na festa Van Gogh beijou todo mundo, até o seu desafeto das arábias.
Ele deu beijos em Munik na festa? Deu no rosto, sem maldades. Quem está maliciando e é ela e as pessoas que estão a procura de motivo para execrá-lo. 
Os dois estavam de boaça na festa. Ele adora dar beijinhos nela. Adora cuidar dela, tem a maior paciência com as bebedeiras dela, ajuda-a a trocar de roupa, leva-a nos braços quando está de pernas bambas de tanta manguaça na pança (ela deixando e gostando), dá os remedinhos e leva patadas grosseiras e injustas logo ao amanhecer, sem se aborrecer. Apenas diz na maior calma: “não precisa ser grosseira comigo.” 
Aliás, quem não merece ter alguém como Ronan como parceiro são as duas que mais deveriam ser agradecidas a ele: Geralda e Munik. Elas falam mal dele pelas costas, criticam-no e riem dele. Nunca vi Ronan tesourando as duas pelas costas, ou debochando delas. Infelizmente, Ronan está sozinho na casa 
Desde o tempo com Ana Paula, ele sempre foi protetor, atencioso, amigo, cúmplice, companheiro e torcedor das três mulheres do seu grupo, embora nem sempre elas tenham merecido sua dedicação, como continuam sem merecê-la. 
Não me surpreendem as barbaridades que tenho lido sobre Ronan, tampouco me choca a leviandade com que enlameiam sua imagem. Sei que entender a aceitar alguém com a personalidade complexa como a de Ronan é complicado e exige muita sensibilidade e total despojamento de qualquer laivo de preconceito. 
Muitas pessoas o julgam equivocadamente, sem saberem de tudo sobre o seu passado, sua vida, suas aflições, dores e traumas, sem pararem para pensar se as suas atitudes são reflexo da infância que ele teve, e dos muitos preconceitos que deve ter sofrido e ainda sofrer até hoje. 
Posso até não concordar com algumas das suas atitudes, mas procuro compreendê-las com os instrumentos da razão e com a maleabilidade dos sentimentos, da emoção. 
Acredito que Ana Paula o compreendeu e captou sua essência boa, admirou sua integridade moral, rendeu-se à sua gritante carência afetiva, acolhendo-o e apoiando-o enquanto esteve na casa. Esse seu gesto de generosidade foi importantíssimo não só em relação ao jogo como para elevar sua auto estima, arrancá-lo da solidão a que estava sendo relegado pelos cabrões covardes da finada macholândia. Ana Paula foi a mola propulsora que o jogou para o alto e o trouxe de volta para o jogo.   
Há quem ache que Ronan precisa de um tratamento psicológico, para livrar-se dos seus fantasmas. Não descarto sua necessidade de procurar conhecer-se melhor, de aprender a lidar com seus traumas e restaurar sua auto estima. Todavia, se ele está doente da alma, tal doença foi-lhe transmitida por contágio com a podridão da sociedade, com o demônio do preconceito e pela vilania dos que se julgam socialmente e economicamente superiores aos negros. Mais doente que Ronan é a sociedade preconceituosa, mais necessitada de socorro é esta. 
Eu vi a sanha destruidora de pessoas que, leviana e criminosamente, rotularam Ronan de ladrão de dinheiro e de jóias, pautadas apenas em vídeos divulgados pelos piores e mais sórdidos programetos de televisão da mequetrefe Rede TV. O afã em demolir a imagem do rapaz era tão obsessivo e tenaz que inventaram até que ele destruía documentos da Operação Lava Jato, quando trabalhou como Ofice boy na Polícia Federal. Claro que a coisa é tão maldosa, descabida e sem respaudo na realidade dos fatos, que não teve repercussão nas largas avenidas e ruas da NetBBB. 
Assim, enquanto os donos da verdade e juízes infalíveis dos erros alheios vociferam contra a honra, a imagem e o nome do rapaz negro, sua torcida cresce cada vez mais aqui fora, trazendo-o de volta de quatro paredões. 
Muitos são os que tiveram a sensililidade para perceber suas qualidades e estão determinados e unidos para levá-lo à vitória, como o participante mais merecedor dessa edição. Merecedor não por ter sido muito pobre e ter uma vida trágica, mas por sua essência humana e pelos valores que ele representa, não apenas dentro do programa, como fora dele, onde amigos, ex-patrões e colegas de trabalho dão o testemunho das excelentes impressões que tem dele. 
Foi decepcionante, para mim, ver quando todos na casa estavam bajulando o ator, enquanto criticavam e julgavam Ronan, uma pessoa que, claramente, não estava bem, que estava sofrendo. Não que todos devam paparicá-lo a todo instante, mas faltou um pouco de compreensão e solidariedade por parte dos seus colegas do grupo, notadamente Geralda a quem ele confidencia sobre seus sentimentos, trata-a com uma extremada consideração, cuidados e desvelo. 
Criticas e execrações pipocaram dentro e fora da casa. Desaforado, mau caráter, estúpido, machista, foram alguns dos rótulos menos sórdidos que jogaram nas costas de Ronan, por ter tido, bêbado, um surto de ciúmes e decepção, ao ver sua musa dormindo com um estranho recém chegado à casa. Isto como se não fosse a reação mais normal do mundo sentir ciúmes da mulher amada. 
Jogou uma caixa de camisinhas nas fuças do casalzinho? Jogou... e daí? Foi falta de respeito? Foi mesmo? Verdade? Eu enxerguei a cena de outra maneira. Vi ali dor, frustração, decepção, sofrimento e um amargo sentimento de rejeição! Vi um rapaz novo rasgado por dentro, revoltado e infeliz, procurando desabafar a mágoa dolorosa de quem se sente desprezado pela mulher que ocupa seus pensamentos. 
Ana Paula, mesmo fora do jogo, continua a apoiá-lo e  a torcer por ele, tendo inclusive declarado a sua preferência por ele, perante sua torcida. 
Torço por ele, com muito orgulho, adoraria vê-lo campeão se contrapondo a campanha preconceituosa que fizeram aqui fora contra ele taxando de ladrão e, ultimamente de tarado, de aproveitador das mulheres da casa e outras barbaridades criadas por mentes doentes, sem contudo correlacionarem provas. 
Não tenho certeza de que Ronan possa vencer Munik, certamente a preferida com uma grande torcida organizada. Mas, não creio que seja impossível sua vitória merecidíssima. Mesmo que não seja o campeão, certamente ficará no 2º lugar e receberia um prêmio bem razoável. 
Ronan tem potencial a ser desenvolvido, pode estudar e se tornar um brilhante profissional em qualquer área que escolher, tendo a chance de superar as dificuldades passadas. Ele só precisa de um empurrão para que isso aconteça. 
Ronan ajudando crianças orfãs em uma ong.

Postar um comentário