6 de março de 2016

Ana Paula forever!


Ana Paula continua sendo ímpar, única e sui generis. Ela saiu do BBB16, mas sua lembrança e o impacto de sua desclassificação continuam presentes no imaginário até dos seus detratores, mesmo daqueles que se julgam acima do bem e do mal, acenando com a bandeira de detentores de valores especiais, que os torcedores da Diva Carismática não possuem. Estes são gente de terceira classe, desdenhados em nome de uma tal "inversão de valores" que ainda não entendi o que seja. Como inversão de valores, se estes são inerentes à personalidade e à individualidade de cada um?
Meus valores são a soma dos valores familiares que herdei, somados a outros que adquiri ao longo da minha socialização, das minhas experiências, do meus contatos com a sociedade e, mais que tudo filtrados pela minha consciência e pontos de vista individuais. Portando isso de ficar acusando de praticantes de inversão de valores os que sentem, pensam e agem de forma independente, diferenciada e de acordo com o próprio e legítimo sistema de valores, como forma de insultá-los e diminuí-los, é uma grande asneira. A mim não atingem! Apenas já me dão uma aflitiva canseira, especialmente por causa da sua reiterada repetição pelos papagaios de pirata que leem o disparate, acham lindo e, sem refletirem sobre a incongruência do que dizem, saem na base do repeteco, soltando tal pérola net a fora. 
A tal "inversão de valores" só perde para outra asneira fenomenal: a que compara os que torciam por Ana Paula e torcem por Ronan, com o epíteto de petistas, ou com o rótulo de votantes de Dilma. Ora, fala sério! 
O que tem a ver votação e escolhas em um programa de entretenimento com a votação em uma eleição presidencial e a escolha de Dilma? O que dá aflição é ver esse dislate ser repetido como se fosse a mais inteligente das conclusões... Claro que a intenção é, também, a de insultar e diminuir os que, nos paredões, votavam em Ana Paula. Milhões de retardados, responsáveis pela eleição de Dilma... É muita puerilidade para digerir... Não dá para ser feliz com esse barulho tenebroso gerado pela frustração, pelo fanatismo e pelo arrogância, dos que se sentem contrariados. 
Respeito pelas diferenças é fundamental para a instauração do respeito e da harmonia. O engraçado é que as mesmas falhas apontadas em Ana Paula são praticadas por seus detratores nas redes sociais, em blogs e nos comentários publicados em nossos blogs. Fazer o quê, né mesmo? 

Para adoçar a alma, lembro a edição de ontem, quase toda dedicada à Ana Paula, fazendo jus a sua especial passagem pelo BBB16. Foi gratificante demais! Foi uma manifestação de respeito, de carinho e de consideração por quem levou a edição nas costas, por quem sobressaiu como a grande e absoluta protagonista do programa, a que brilhou dentro da casa e que continua brilhando através da pena de colunistas, pela palavras de veiculadores de opinião na imprensa escrita, falada e televisiva".
Abaixo, mais um artigo de Maurício Stycer sobre Ana Paula:

"Ana Paula deixou o "BBB16" sem ter direito ao tradicional "discurso da eliminação", feito por Pedro Bial, nas noites de terça-feira. A única coisa que ela ouviu, na manhã deste sábado (05), foi a voz impessoal do chefão Boninho no confessionário: "A senhora está eliminada".
Ainda assim, a jornalista teve direito a um outro tipo de homenagem do apresentador, doze horas depois, na noite de sábado – o "discurso da desclassificação", que mereceu por ter dado dois tapas na cara de Renan. 
Aos espectadores indignados com as atitudes de Ana Paula no programa, Bial foi logo dizendo: "O "BBB" não é necessariamente vitrine de virtudes nem de vícios. Tantas vezes desrespeitosa e desequilibrada, Ana Paula não é um exemplo, mas merece toda compaixão e nos inspira à reflexão".
Compaixão? O apresentador tentou explicar, em chave poética, como gosta. Primeiro, reconheceu: "Você passou do ponto, passou muito do ponto". Mas teve um mérito, disse: "Você engrandeceu o jogo ao relativizar falsos bem e mal absolutos."
Talvez no melhor trecho do discurso, Bial observou: "Não teve medo de ser odiada como vilã e foi amada como anti-heroína". E corretamente lembrou: "Mesmo na hora da briga, não perdia o humor. Pois enxerga o ridículo de nossas paixões e tem a grande virtude de saber rir de si mesma.
Por fim, meio psicólogo, Bial perguntou: "Você, criança perversa ou criança perdida? A um só tempo mimada e carente." E justificou a desclassificação como um gesto de carinho paternal do programa: "O "BBB" te deu limite, uma forma muito generosa de amar".

Para quem não viu a edição de ontem e, consequentemente não ouviu o discurso de Bial, pronunciado como se o estivesse fazendo em uma sua eliminação, transcrevo abaixo, as palavras enaltecedoras do apresentador, divulgadas em rede nacional e internacional. Palavras muito mais divulgadas e representativas que os insultos e disparates que circulam na net. Bial é um poeta, um homem de grande sensibilidade, de comprovada inteligência e, como tal, enxergou os defeitos e, mais que tudo,  viu as qualidades ímpares de Ana Paula:
"O BBB não é necessariamente vitrine de virtudes nem de vícios. Tantas vezes desrespeitosa e desequilibrada, Ana Paula não é um exemplo, mas merece toda compaixão e nos inspira a reflexão. Ana, a louca. Já em seu primeiro paredão, eu dizia: "Você, que ao expor, se expõe. Você descontrole. Você que quer holofote na cara da verdade. Você que quer escancarar. Faísca, você arrisca. Você, rá!" Você que passa do ponto. Passou, ô, se passou, passou muito do ponto. Hoje eu posso concluir: você, que engrandeceu o jogo ao relativizar falsos bem e mal absolutos.
Ironia, você que trouxe o relativismo, foi vítima de sua busca pelo absoluto. Você que - tava na cara - era destinada a arder no fogo que acendeu. Você que não teve medo de ser odiada como vilã e foi amada como anti heroína. Você. que mesmo na hora da briga, não perdia o humor, pois enxerga o ridículo de nossas paixões e tem a grande virtude de saber rir de si mesma. 
Você, criança perversa ou criança perdida? Você que tem demais e nada basta, você é, a um só tempo, mimada de carente. Você, generosa, viu a solidão de Ronan e o trouxe de volta. Você, esperta, percebeu o brilho de Munik e com ela formou. Você e sua intuição ativa, que é como se chama inteligência no BBB. Você que disse bonito "meu objetivo era enxergar um rumo pra minha vida". Rumo que buscava desde sempre arriscando, testando, provocando, até chegar ao rumo que se chama limite. Esse é o rumo que você buscava aqui e o BBB deu pra você: limite, uma forma muito generosa de amar".

Postar um comentário