22 de agosto de 2017

As maldades de quem chama os fãs de "meus amores" e prega o Amor!


Quem ainda se lembra do dia em que Emilly engatou um diálogo com Marcos com a finalidade de fazer uma pseudo "mea culpa" pelas maldades que fez com a mãe moribunda? Esse diálogo foi longo. Mas, quando terminou eu percebi, sem sombra de dúvidas, que toda aquele dramalhão mal contado, toda aquela firula dela, foi motivada por sua percepção de que a família de Marcos, aqui fora, já estava sabendo a bisca que ela era. Isto por causa da forma fria como apareceram para Marcos no vídeo que este ganhou de presente no almoço do anjo. Inclusive, a irmã falou que o seu prato preferido, que enviaram, foi preparado pela ex-namorada dele. Isto bastou para ela sacar que a família não estava a favor do casal. Muito matreira ela resolveu fazer aquele teatrinho da sofrida menininha órfã que sente não ter sido tão boazinha para a mãe moribunda. Tudo para sensibilizar Marcos e o público. E funcionou!
Sinceramente me deu asco, quando vi essa cena histriônica, de choro sem lágrimas, com falinha de criancinha. Talvez, haja quem pense: há, coitadinha, ela só tem vinte anos!" Idade nada tem a ver com hipocrisia, manipulação e ceninha para impressionar. Uma pessoa que hoje fica falando nas redes sociais que só tem amor no coração, que só dá ao outro aquilo que tem dentro de si: amor e carinho... Aí, eu pergunto: o que será que ela tinha dentro de si, quando não se sensibilizou com o estado de fragilidade física e emocional da mãe, porque não se compadeceu da dificuldade da senhora doente e dispôs-se a ajudá-la, especialmente naquela situação de doença em estágio terminal? Não. Preferiu fugir de casa para viajar para a casa do namorado rico.
Pois é Emilly, eu queria muito saber se todo esse amor que você diz ter dentro de SI, sua mamãe pode sentir. 
Quando lembro essa cena de confessionalismo fajuto, sinto mais repulsa por esta figura patética e falsa. Hoje, depois de ter acompanhado o comportamento  de Emilly fora do jogo, sou capaz de compreender o que se passou na cabeça e no emocional de Marcos, submetido a perniciosa, trevosa, corrosiva e tóxica convivência com ela, com quem se aliou e se perdeu. E como pagou caro por ter ficado com ela. 
Uma pessoa que hoje fica falando nas redes sociais que só tem amor, que só dá ao outro aquilo que tem dentro de si, que só trata os fãs por "meus amores" inspira-me a perguntar: o que será que ela tinha dentro de si para não se sensibilizar com a situação de doença em estágio terminal da própria mãe? 
Que Deus me perdoe mas, por tudo que eu vi acontecer dentro da casa do BBB e depois da saída dela, eu não consigo acreditar no arrependimento dessa pessoa. Para mim, tudo que ela fez nesse dia, o diálogo inteiro foi para comover o povo aqui fora! É impressionante o poder de vitimização dessa sonsa.  
A mãe, mesmo doente, cantava coitada! Talvez para esquecer as dores e a tristeza. E o que fazia Emilly? Ficava feliz ouvindo-a cantar? Não! Ela reclamava do barulho, mandava que ela se calasse. Quando a mãe, que a hipócrita hoje chama de “minha rainha” ,para fazer média com os fãs, gemia de dor, Emilly ligava o som muito alto para não a ouvir. Quando a mãe lhe pedia para ajudá-la na cozinha e nos afazeres domésticos, a filhinha amorosa mandava que a “sua rainha” chamasse Mayla!  
Pois é, Emilly, gostaria de compreender que raio de amor é esse que você está sempre afirmando ter dentro do seu coração, sempre chamando seus fãs de “meus amores”, além de conclamar a todos a dar mais amor em vez de ódio... Será que sua sofrida mãe recebeu de você todo esse amor? 
Emilly usou prodigamente o nome, o sofrimento, a doença e a morte da mãe no BBB e ainda continua usando e abusando da memória de sofrida senhora para bancar a filha amorosa, dedicada que nunca esquece a mãezinha amada. Num cinismo aflitivo e revoltante, chama-a de “minha rainha”, esquecendo que a apresentava às amigas como sua empregada doméstica, por sentir vergonha da sua aparência decadente e devastada pela doença! 
Ela foi pérfida com sua mãe, sem jamais sentir remorso ou compaixão! Porque gente dessa espécie, cruel, egoísta e fria, não sente remorso! Tanto que, enquanto a mãe agonizava na CTI, Emilly estava na casa do seu namorado Kaike Almeida em outra cidade, numa boa, disposta a não voltar para casa. Como ele mesmo relata, a filhinha amorosa de coração bom queria passar o Natal e a festa do fim do ano divertindo-se, bem longe de casa. A Amorosa e boa filha só voltou para Eldorado para ainda ver a mãe com vida, obrigada pela família de Kaike e por ele, que compraram a passagem de avião e a forçaram a retornar. 
Apenas três dias após o sepultamento da sua mãe, depois de tanto padecimento, a menina sofridinha que se dizia pobre, já estava em Jurerê, praia de ricos, curtindo as festas de Ano Novo! É curioso como uma garota pobre, cujo pai ganhava dois salários mínimos para manter a família, tinha condições financeira para arcar com tais gastos. Milagre!!!
Menos de um mês depois do falecimento da mãe, ela e Mayla estavam concorrendo por uma vaga no BBB17, bebendo, dançando, desfilando de biquíni, rebolando e, ela, puxando o tapete da irmã maldosamente, pelando-se de medo que esta ganhasse a disputa.   Infelizmente, não foi Mayla a escolhida pelo público para ficar no programa. 
Sozinha na casa, a pilantra passou a viver como se nada tivesse acontecido, era a primeira a chegar na festa, bebia como um estivador, tratou logo de pegar o tonto do Marcos, como quem transava descaradamente, pouco se importando se estava sendo filmada em sua fudelância diária, e fazendo toda sorte de maldades contra todos que tiveram a má sorte de estar na mesma edição que ela!!! 
Só lembrava da mãe para fazer média, para bancar a sofridinha, a orfãzinha, em ceninhas patéticas, com choro seco, como faz até hoje! 
Nem foto com a mãe, ela havia levado! Decerto se envergonhava com o aspecto doentio e sofrido da mãe, precocemente envelhecida!!! 
Quando foi  líder e ganhou fotos da família, ficava ajoelhada, chorando no seco, agarrada com a foto da mãe, ainda jovem. Tudo ceninha para o público.
Essa mulherzinha falsa, sem compaixão e mentirosa, não vale uma pataca furada. 
Nem chorar como fazem todos os humanos, essa tipinha consegue. Apenas faz caretas, finge choro, mas lágrimas não há! A falseane chora a seco hehehe! Emilly é capaz de manipular e enganar até o Diabo!
Mas, janeiro vem aí. Outra edição do BBB vai começar, jogando uma pá de cal nas chances que Emilly conseguir realizar suas ambições. Os holofotes de uma fama, que já estão se extinguindo, vão apagar de vez. A Fazenda será um tiro de misericórdia nas poucas notícias sobre ela. Somente Vivian sobreviverá, fazendo seu trabalho e ganhando seu dinheirinho honestamente. Mas, mesmo para ela o prazo de validade irá, provavelmente, até o início do BBB18. Só que a linda advogada tem uma carreira a seguir na magistratura.
Eu mesma, já estou turbinando os motores para decolar para A Fazenda e esquecer Emilly, seu baixo astral e seu pós-BBB desastroso. 

Nenhum comentário: