19 de junho de 2017

Íris Stefanelli e Diego Alemão se reencontram 10 anos após o 'BBB 7'



Em 16 anos de reality, o BBB marcou a vida de muita gente, ainda mais dos poucos sortudos que foram os vencedores de cada edição. E como em janeiro deste ano completaram 10 anos do início do BBB 7, o vencedor da edição, Diego Alemão, resolveu relembrar sua trajetória no programa. 
"Há exatos 10 anos atrás começava uma aventura e tanto BBB7 acreditei, me joguei, vivi e venci segui os conselhos que me foram dados, coragem, cuidado e sempre, sempre mesmo confiei em minha intuição enfrentei tempestades naufraguei, fiquei a deriva e finalmente após muito nadar achei terra firme, não tive escolha minha vida mudou e fui obrigado a aceitar. 
Gostando ou não a vida é cíclica cheia de altos e baixos venci, perdi, cresci mais nunca que arrependi de tudo que vivi, sou grato à Rede Globo, ao Boninho e a todos que fizeram parte dessa aventura. Não importa quantas câmeras estejam nos observando: sempre tem alguém lá em cima olhando por nós", disse. Alemão foi um excelente jogador. A edição foi das melhores que já vimos do reality. Inesquecível! 


O tempo voou e a sétima edição do "BBB" acaba de completar 10 anos. Isso mesmo, você não leu errado! E, para celebrar a data, Iris Stefanelli e Diego Alemão - que encantaram o país em 2007 e fizeram muita gente chorar quando ela foi eliminada num paredão com ele, o seu então namorado - se reencontraram. 
O encontro aconteceu em um restaurante no bairro de Ipanema, na Zona Sul do Rio. 


 "Dez anos de carreira! Porque meu coração diz, como nunca, que este ano será minha melhor colheita, tanto no amor quanto no trabalho", escreveu Íris na legenda de uma foto compartilhada nas redes sociais antes de embarcar para a capital fluminense. 
Pelas fotos, ela e Alemão curtiram demais o reencontro. Será que rola, revival? Acredito que não. São apenas amigos que se querem bem. 
Diego e Iris na casa do BBB7. Lindos!
Eles viveram um romance no BBB que deixou as torcidas arrebatadas. O casal era lindo, e não teve nada de festinhas subedredônicas e pegação. A relação tinha um clima de romantismo nunca visto antes no reality da Globo. Além do carisma dos dois. 
Iris era linda! Ainda continua bela, uma beleza mais madura, mais mulherão. 


A Íris foi uma das ex bbb que mais faturou na época! Fez muito sucesso e até hoje faz! Seu pós-BBB foi uma loucura, por onde andava arrastava multidões de fás. Os convites para Presenças VIPs choviam, o cachê que recebeu da PlayBoy foi um dos maiores já pagos, participou de muitos eventos, percorreu vários estados do Brasil para participar de desfiles de moda, de festas de rodeio, etc, etc. Ela, fez propaganda de produtos até na Argentina. Nesse país ela ficou famosa, após participar do Grande Hermano, logo que foi eliminada. 
A casa de Íris em São Paulo.
O programa da Sônia Abraão uma vez fez entrevista com Iris sobre o que ela tinha conseguido após o BBB7. Ela falou sobre seu trabalho na Rede TV, onde continua até os dias de hoje. 
Sua fortuna na época da entrevista estava avaliada em 5 milhões. Ela soube aproveitar muito bem as oportunidades, investiu o dinheiro e meteu a cara no trabalho, abriu uma loja de roupas femininas e tem um canal no YouTube, onde faz o comercial dos chiquérrimos vestidos do estoque! Ela merece todo o sucesso.

Fani Pacheco participou desse mesmo reality e, dentro da casa, fez de tudo para atrapalhar o namoro de Alemão/Iris, dava em cima dele descaradamente, tomava porres homéricos e foi quem inaugurou a fudelância no BBB. 
Fani Pacheco, depois de muita comelância,  sem caber nas roupas... 
A eliminação de Íris deveu-se muito às intrigas dela com os rivais de Diego no jogo. Hoje, quem está numa pior, gorda, decadente e na pindaíba, e quem está muito bem na vida, linda, leve, rica e bem empregada? Pois é. Aqui se faz, aqui se paga!

Iris continua linda, muito mais que na época do BBB7, pois desabrochou, amadureceu e tornou-se um mulherão. Abaixo uma foto dela atual.

12 comentários:

Leandro Batista disse...

O BBB7 foi épico. Numa época em que gente mentirosa e sem caráter não tinha vez. Foi nesse BBB que vimos talvez a maior e a melhor rivalidade entre dois gigantes que passaram pela casa mais vigiada do Brasil: Diego Alemão e Alberto Cowboy. Este último completamente injustiçado, foi perseguido e tachado pela mídia e pelo público como vilão, quando na verdade foi um dos maiores jogadores que tivemos na história do BBB.
Iris Stefanelli dispensa comentários. O romance entre ela e o Diego arrebatou multidões. Ainda tivemos também a lindíssima Flavia Viana. O choro dela quando Bial anunciou a saída da Siri no famoso paredão do amor é uma imagem que não sai da minha memória até hoje.

E pensar que hoje em dia as redes sociais, caprichetes e torcidas organizadas mandam no programa. Não é a toa que vemos gente como Emilly Araujo sendo campeã.

disse...

Não há como negar que o príncipe nos moldes impostos - um homem forte, bonito e loiro - povoam o nosso imaginário. Alemão montou um personagem que arrebatava corações. Fosse ele feio, sem atributos físicos e negro, teria sido execrado, assim como foi Alberto - este sim, o grande, o maior jogador de todas as edições do BBB, porém odiado, rejeitado e vendido como um grande vilão.

Não curti o personagem do Alemão, e achava o caipirês da Íris muito forçado. Fani é uma pessoa com a qual não tenho nenhuma empatia Estava em Bariloche quando o BBB terminou e soubemos - através da Internet, ainda muito precária na ocasião - da final óbvia - Alemão o campeão absoluto.

Que bom pra Íris, que ela teve o discernimento de aproveitar a passagem pela casa do BBB. Mas acho que a ex BBB de maior sucesso na mídia e que fez mais capas de revista, e alto cachê da Playboy foi Grazzi. Lembro das fãs se desdobrando pedindo capas de revistas, espaço na mídia.

Anônimo disse...

Alemão só ganhou em razão de ter sido beneficiado pelas edições. Se mostrarem pelo menos 60% das coisas que ele fazia, duvido que teria ganho.

O vencedor moral do BBB7 foi o Alberto Cowboy, um dos participantes mais injustiçados de todas as edições.

Anônimo disse...

Verdade Leandro. O BBB 7 foi interessantíssimo, uma das melhores edições de todos os tempos. Depois dele não houve outra igual. O BBB 10 fez muito sucesso, mas já estava na época de transição dos BBBs antigos (onde não havia essa força de torcidas fanáticas votando em peso na internet) com os BBBs atuais (reduto do fanatismo e dos resultados injustos muitas vezes). Naquela época jamais Emilly e Marcos se "criariam" naquela casa, com certeza sairiam de lá facilmente com rejeição.

Anônimo disse...

Verdade Ní. Apesar de que eu gostei (e gosto) bastante de Íris. Acho uma pessoa carismática e batalhadora, que soube crescer na vida sem utilizar métodos tortuosos. Os dois (Íris e Alemão) souberam muito bem utilizar a tática de casal de forma inteligente e sem invadir o espaço dos outros e fazer mal aos mesmos (ao contrário de Marcos e Emilly, que naquela farsa "fudelante" invadiam os espaços dos outros e eram super desrespeitosos). No caso de Alberto, não acho que foi a falta de atributos físicos que fez o mesmo ser enxergado como vilão (o grupo dele tinha mulheres lindas como Carol e Bruna, que foram rotuladas como vilãs também), mas o apego do público ao casal Íris e Alemão (que souberam jogar melhor com o público do que ele). Mas todos os participantes daquela época eram bem interessantes dos que os BBBs atuais apresentam.

Maria carioca disse...

Detestava o Alemão.
Grosseiro, podre, machista que ofendia Fani mas se enroscava nela.
Mesmo não concordando com os atos dela considero que toda mulher merece respeito.
Alberto, foi um dos maiores estrategistas do bbb, mas sofreu um impressionante linchamento por parte da produção que respingou até em sua família.
Lastimável.

Anônimo disse...

Concordo plenamente,e digo mais não só caprichetes e torcidas organizadas ,como também a produção do programa.Eles ditam,injustamente,as regras do jogo😑😑😑

Eva/RN ZCMC disse...

Maria Carioca
Concordo com você sobre o que diz de Alemão. Eu torcia por Siri, achava-a linda, caipirona e engraçada. Ela era o avesso de Fani. Alberto foi uma vítima da Produção. Mas, a edição, como um todo foi das melhores. Alberto foi um grande jogador.
Gente, abriram-se as portas do inferno e uma turba de almas penadas invadiram os comentários da postagem sobre Fani Pacheco. Ficaram ofendidinhos com minhas críticas à ex-bbb profissional... Ai, como me divirto. Hehehehehehe. Não são pessoas que costumam frequentar o blog. Chega a ser engraçado mesmo. Um abração.

disse...

Eva, Comentaristas,

Concordo que o BBB era infinitamente mais interessante e palatável.

Natália e Fani são tipos que decididamente não me agradam. São demasiadamente escrachadas e a vulgaridade não rima com liberdade - do meu ponto de vista.

Quanto a Íris, não tenho nada contra. Acho mesmo que ela é uma boa menina, de ótima índole, que estudou, batalhou, cresceu, investiu na lapidação. Meus respeitos a ela e às suas conquistas.

Alemão era um canastrão protegido pela edição. O que foi feito com Alberto foi terrível!

Anônimo disse...

Anônimo das 17:02, não acho que Alberto tenha sido o vencedor moral daquela edição não. Ele foi um ótimo jogador, mas seus métodos não foram os melhores. Eu acho que Íris e Flávia ocupariam melhor essa posição de vencedoras morais (eu também citaria Bruno e Alan Pierre que, apesar de não terem tido tanto destaque quanto as duas, tiveram trajetórias exemplares).

Leandro Batista disse...

Alemao jogou pra fora da casa. Alberto jogou pra dentro e perdeu. A edição tambem foi parcial demais e o apresentador mais parcial ainda. Só faltou mandar um CHUPA cowboy no dia da eliminação. Ainda assim foi um embate emocionante de se ver. No youtube tem uma entrevista recente feita com os dois. Eram adversários e jamais jogaram sujo. O ponto máximo foi a prova disputada dentro da gaiola. Enfim, eram outros tempos.

disse...

RS, sobretudo o BBB, que tem um enorme apelo popular, é feito exatamente para dominar as mentes "fracas". É um ótimo instrumento de manipulação das massas. As estratégias de manipulação são poderosas e continuam funcionando. Conta-se uma historinha - nunca verídica - monta-se um enredo e vende-se os personagens que se pretende emplacar. Daí é só contar com a histeria coletiva, caprichetes, a carência afetiva extrema de muitas mulheres, os modelos fortemente arraigados no nosso imaginário, falsas histórias arrebatadoras de amor e paixão, personagens de mocinho e bandido, e o circo - muitas vezes de horrores - está montado. A partir daí é só manipular os marionetes.

Para mim Alberto foi um grande jogador. Mas qual a possibilidade de concorrer com Diego Alemão? Zero!!!!! O cara "uivava" pra lua "apaixonado" pela sua caipira.

Mas eram outros tempos. Íris e Alemão sequer se beijaram durante o RS, por resistência dela. Não torci por ela , mas nem por isso deixo de reconhecer a sua beleza e trajetória.