[Valid Atom 1.0] [Valid RSS] Rabiscos de Eva: A coluna de Ana Paula Renault

8 de março de 2017

A coluna de Ana Paula Renault


Com a palavra Ana Paula Renault. Especial para o UOL. A inesquecível ex-bbb que fez história no programa.

"Quem aí ficou ansioso quando o Tiago Leifert anunciou uma grande mudança no "BBB17"? Muitas hipóteses passaram pela minha cabeça: Casa de Vidro, novos participantes, ex-BBBs e até o cancelamento dessa edição! Siiiiiiiiim!!! Fiquei especulando mil coisas, mas quando a razão deixou a emoção um pouco de lado, vi que essas opções eram praticamente impossíveis pelo andamento da edição, e logo na sequência, Tiago anunciou ‘o muro’. 
Esse muro não é novidade para nenhum telespectador de "Big Brother Brasil", e surpresa também não foi – a votação na Emilly para a falsa eliminação junto com a escolha dos seus ‘amigos’ para dividir o lado mexicano da casa. É... Parece que a magnífica reviravolta prometida pelo apresentador flopou, indo ao encontro dessa 17ª edição. 
Inegável é dizer que pelo menos nas redes sociais houve um "rebuliçozinho"... E muitas comparações com a colunista aqui que vos escreve. Ah! Para, ow!!! Comparar a minha eliminação falsa com a da Emília não dá não! No "BBB Raiz" o público decidiu em um paredão falso qual brother ganharia o presente. No "BBB Creme de Avelã" – nem ouso escrever Nutella, porque foi tudo meio genérico, meio similar sem identidade – a participante foi votada pelas mesmas pessoas que a colocaram no paredão um dia antes. Muita emoção envolvida, só que não.
Marcos, Ilmar e Daniel chegam ao lado "mexicano" do "BBB17"Imagem: Paulo Belote/Divulgação/TV GloboA decisão da produção em movimentar essa edição e tentar ressuscitá-la é digna e louvável, mas simular uma falsa eliminação (quanta criatividade), colocar um muro inspirado em Donald Trump e esperar que o programa saia da UTI é o mesmo que colocar a conta do muro no México, nesse caso, na conta do público. 
Rômulo tentando ver o lado "mexicano"Imagem: Reprodução/TVGloboUm muro com remendos e buracos pelos quais Rômulo, diplomata ditador de regras e comportamento, estabelecido no lado opressor da casa, Estados Unidos, foi espiar e acabou por enterrar a mínima dúvida sobre o paradeiro de Emilly. Mister Rômulo desvendou, em poucas horas, o "algo grandioso" que o "Grande Irmão" preparou para nos entreter e dar vida à casa.
A tentativa resultou em um mico estratosférico, onde a credibilidade do programa foi colocada à prova e também a nossa inteligência. Acredito sim, que o "BBB" seja idôneo, que as votações sejam verídicas, mas acredito também na manipulação por parte das edições e contextos, que favorecem – e desfavorecem – determinados participantes. 
Não acredito que a produção quis criar, recriar ou fazer alusão à Ana Paula, a produção quis foi movimentar esse jogo sem graça e sem um enredo que nos envolva, sem história para desenrolar, sem participantes para amar e motivos para torcer. 
Pula para o 18, porque esse "BBB17" já não deu o que tinha que dar."

Concordo com as palavras de Ana Paula e ainda acrescento que das duas vezes que um participante foi escolhido pelo público para um falso paredão, ao voltarem para a casa, depois de ter visto o que se passava na casa, mudaram o comportamento. Ana Paula tinha um imenso fã clube. Nem foi eliminada em um paredão, mas sim por ter deixado que o orgulho ferido lhe subisse à cabeça, ensejando tretas com seus desafetos. Até que a cachaça a derrubou numa festa, na qual não soube lidar com as provocações dos demais. Aí, foi aquilo que se viu. foi expulsa.
Ana Mara era uma das favoritas a ganhar o prêmio, depois que foi escolhida para o falso paredão, voltou com a soberba elevada a quinta potência, passando a assumir um comportamento agressivo, perdeu a popularidade e despencou no primeiro paredão que encarou.
Resta saber como irá se comportar Emilly, depois que retornar ao convívio com o resto da casa que votou nela. Não acredito que vá saber lidar com a situação e a arrogância poderá fazê-la cair na preferência do público. Ainda vai correr muita água debaixo da ponte... Vamos ver até onde ela vai conseguir ir. Não acredito que se transforme em um anjinho, aposto mais na sua soberba em alta, a vaidade e a arrogância como âncoras a puxá-la para o fundo do poço.  

Postar um comentário