19 de junho de 2016

É um espanto os disparates proferidos pelos nobres senadores!



Com tanta comédia e shows de ignorância nas sessões da Comissão que julga o Impedimento da Sra. presidentA da República (tem coisa mais imbecil que esse uso no feminino, inexistente e aberrante, da palavra presidentE?), não dá para comentar realities e outras coisitas que nos divertem.  E não é só esse espetácolozinho de sandices que chama a atenção. Há ainda a mencionar as hilárias crises de histeria das irmãs cajazeira petistas, quando contrariadas em suas tentativas de procrastinar o andamento dos trabalhos, muito bem assessoradas pelo senadorzinho bonitinho Lindbergh e pelo nobre advogado da presidenta, em boa hora afastada. 
Lindbergh é um assombro de sabedoria e cultura. O douto senadorzinho, em um dos seus arroubos discursivos afirmou que o neoliberalismo nasceu na China quando a ditadura comunista era chefiada por Pinochet. Ai, jissuissss! É um assombro a cultura desse nobre parlamentar! 
Vai vendo se não é divertidíssimo ouvir um Senador da República, pertencente ao glorioso PT maltratando cruelmente a geografia e assassinando impiedosamente a história. É mesmo um Deus nos acuda! 
Nas redes sociais, a turma fez a festa, muita gente brincou com o Senador: "Bem que ele poderia defender que a Dilma voltasse a governar a Venezuela", disse uma seguidora do Twitter.

Olha só, os dedinhos e mãozinhas levantados em protestos... É uma delicinha!
O erro de Lindbergh ocorreu depois de horas da Sessão da Comissão do Impedimento. Aliás, uma das mais divertidas, especialmente devido ao protagonismo das três irmãs cajazeiras que, juntamente com o generalzinho da tropa petista, Lindbergh, se encarregam de tumultuar as sessões. No meio da tarde, a Senadora Gleisi Hoffmann, uma das mais eficientes em matéria de gritinhos, protestos, descabelamentos e outras lastimáveis posturas, tentou cancelar os atos da Comissão porque, de acordo com ela e seu empenho em adiar os trabalhos, existiam menos Congressistas no local do que o número mínimo exigido. No entanto, no local estavam cinco Senadores. O quórum para começar a sessão é de cinco pessoas. O presidente da mesa, Raimundo Lira, eleito pelo PMDB da Paraíba, acabou não aceitando o pedido da Congressista que se elegeu pelo estado do Paraná. Aliás, é uma delicinha ver as manobras dessa senadora e das suas aliadas inseparáveis (Fátima-PT, e Vanessa-PC do B) para imporem suas vontades na base da gritaria e intermináveis reclamações, forçando o presidente a suspender a sessão por alguns minutos, para que elas gritem mais a vontade... Umas gracinhas de meninas! Pena que tenham deixado a boa educação em casa.
Como escreveu Augusto Nunes, em sua coluna na Revista Veja (06/06), acerca dos disparates do nobre senadorzinho, em seu discursinho deliciosinho, no qual o emérito parlamentar disse, com ares de impante sapiência, nesta sexta-feira 
“O neoliberalismo foi aplicado… primeiro país onde foi aplicado foi na China”, decolou o senador Lindbergh Farias na sexta-feira, no meio de mais uma gritaria para a plateia entediada. “E foi no governo de Pinochet”, flutuou na estratosfera o coronel da tropa de Dilma Rousseff na Comissão do Impeachment. Com 18 palavras, Lindbergh promoveu (ou rebaixou) a ditador da China o tirano chileno Augusto Pinochet ─ e transformou o regime comunista inaugurado em 1949 no laboratório de experiências econômicas administrado por um general ultraconservador. 
Os guerreiros de Dilma destacados para a comissão revogaram os limites da imbecilidade. Na quinta-feira, o ex-ministro José Eduardo Cardozo incluiu um certo Tomás Turbando Bustamante na lista dos doutores que combatem o golpe que não houve e louvam pedaladas criminosas. Menos de 24 horas depois, o ex-presidente da União Nacional dos Estudantes precisou de duas frases para trucidar a geografia, a história, a economia, o Chile e a China. Pinochet, aliás, é o segundo general a invadir o território chinês por determinação de sumidades do partido que virou bando. 
O primeiro foi Napoleão Bonaparte, que ocupou Pequim durante uma discurseira improvisada por Lula. É nisso que dá fugir do estudo. É assim que fica a cabeça de gente que só aparecia na porta da escola para apoiar a decretação de mais uma greve. Pelo menos numa matéria o mestre e seus discípulos se igualaram: são todos nota 10 em ignorância". Melhor que isso somente os famosos discursos da presidentA que nem ela entende. 

Vai vendo se com tanta diversão na tal Comissão de Impedimento dá para ficar aqui comentando o Power Couple Brasil... Não dá mesmo, especialmente depois do show de hipocrisia de Simony, tornando-se amiguinha de infância de Laura/Jorge. A mulher se queimou geral com sua mudança interesseira de comportamento, fez tudo quanto dizia jamais fazer, inclusive trair a confiança do amigão Conrado... O que dinheiro é capaz de fazer com certas cabeças, notadamente quando o caráter fraqueja! 
Como não confio na honestidade dos que fazem o programa, não duvido que alterem o resultado das votações para darem o prêmio a Simony, tão queridinha da emissora. Depois do revoltante resultado em a Fazenda 8, não dá para confiar... 
O melhor a fazer é continuar ligadona da Globo News, apreciando as pérolas do Lindbergh e as manobrinhas das irmãs Cajazeira, sentadinhos na primeira fileira de cadeiras, bem na mira das câmeras e no primeiro plano para serem vistos pela TV! 


As sessões da Comissão do Impedimento não dá nenhuma canseira, muito ao contrário. Além dos acima  referidos protagonistas, há  barracos, baixarias, troca de desaforos e de acusações, enfim quase tudo que há no Big Brother Brasil...Hehehehehehehehe...  Claro que também há ótimos discursos, excelentes argumentações de senadores sérios, inteligentes e comprometidos com o alto posto que ocupam no legistativo, há senadoras de grande brilho e elegância nas atitudes e até na forma de se vestirem.  Vele a pena ver e ouvir as pessoas que pusemos no Senado...  Há de tudo. A fauna contemporânea é bem diversificada, como tal há aqueles e aquelas que nunca deveriam ter sido eleitos, que não sabem se comportar com o rigor e a dignidade que se espera de Senadores da República. Por outro lado, há muitos que honram o posto que ocupam e são merecedores dos votos que receberam.

Ouvir os discursos do advogado de defesa da ex-presidentA é imperdível! O nobre causídico emite um tipo de discurso bem barroco, cheio de filuras latinizantes, de expressões altamente cultas, com linguagem altamente ornamental, para defender o indefensável, para convencer a quem mesmo?  É uma delicinha ver o malabarismo e o teatralismo do nobre advogado... 

Nenhum comentário: