2 de abril de 2016

Meu herói de ébano venceu seu quinto paredão! Aêêêê!...


Aêêêê... Olha eleeeee! Ronan venceu, sem ajuda de Ana Paula e da torcida de Munik, sem as Clanessas e de vários outros twitteiros que o haviam apoiado no paredões anteriores. Ganhou com sua própria torcida, à qual se juntaram dezenas de outros twitteiros, organizados em mutirões empenhadíssimos. 
Não obstante as calúnias e difamações hediondas de blogueiros/as, de twitteiros e de apresentadores de programas mequetrefes de fofocas ordinárias e sensacionalistas, como Sônia Abraão e Nelson Rubens, meu negão porreta venceu seu quinto paredão. Deus é Pai, e o público brasileiro não aprecia perseguições gratuitas. 
Go, Negão! Estarei até o fim tirando o chapéu para você, meu mestre sala! 
Não foi fácil a vitória, porque Geralda conquistou a simpatia de um considerável público, que gostou do seu altíssimo astral, de sua alegria de viver e sua juventude de espírito. Em uma votação acirrada, ela somou cinco pontos e foi eliminada nesse penúltimo paredão do BBB16. Ronan permanece na casa e é um dos três finalistas na disputa pelo R$ 1,5 milhão. E, se Deus quiser estará na finalíssima com Munik. 

Desde ontem, depois da formação do paredão, Munik ficou deprimida e com crises de choro. E quem foi que ficou sempre ao seu lado, acalmando-a, cumulando-a de afeto e cuidados? Foi Ronan! O mesmo que ela trata tão mal...O que as más línguas dizem que a assedia e outras injúrias maudosas. Na verdade ela ficou muito pesarosa com a ameaça de ficar sem ele na casa. Sabe da lealdade e companheirismo dele. No momento próximo a eliminação, Pequi estava emocionada, juntinho de Ronan e triste. Quero ver as línguas de trapo, fofoqueiras inescrupulosas dizerem que ele a estava assediando. Cambada de gente maliciosa, maldosa e sem noção de respeito pela honra alheia. 
Se ele não aguentar ficar até o fim dessa prova final, não sairá de mãos abanando. Receberá 50 mil reais que o ajudará de alguma forma. Fora da casa, acredito que lhe aparecerão oportunidades de trabalho bem remunerado. Ele teve muito tempo em exposição para mostrar o cara íntegro, educado, bom caráter, moralmente bem formado e com uma bagagem de conhecimentos que atesta a sua inteligência acima da média. Para quem teve uma história de vida trágica, sem família, sem amparo, sem ter quem lhe transmitisse valores e princípios morais e éticos, ele é um fenômeno de superação e de construção do seu próprio ser. 

Quanto mais o observo, mais fico impressionada com suas boas maneiras à mesa, no trato com as pessoas, com sua linguagem livre de palavrões, sua expressão verbal corretíssima e, principalmente sua facilidade para se expressar, de transmitir o que pensa. Se fosse meu filho, teria imenso orgulho dele. Adoraria poder conversar com ele sobre tantos assuntos: literatura, poesia, filosofia, arte e etc, etc, etc.

Que maldade há nessa troca de carinho?  Está na mente suja de quem se aproveita das brincadeiras entre os dois para denegrirem a imagem dele.
Até um advogada sem noção declarou que é assédio as brincadeiras, as paquerinhas e as beijocas dela na Pequi. 
Quando era Renan ou o Kibezinho das arábias não era assédio, era apenas paquera, coisa de jovens. Sendo um negro, logo a desgraça do preconceito joga lama em qualquer gesto de afeto. Cambada de hipócritas!

Nenhum comentário: