[Valid Atom 1.0] [Valid RSS] Rabiscos de Eva: O lado bom da vida by PilotandoTV.

1 de março de 2016

O lado bom da vida by PilotandoTV.


Gente, vamos dar uma trégua para nossos espíritos, lendo esta belíssima e inteligente postagem, publicada no blog PilotandoTV. Vai nos fazer bem ler alguma coisa leve, poética, sensível e de uma incrível suavidade, raiando as nuances do lirismo mais autêntico. Não sei o nome de quem o escreveu, mas o parabenizo pela fulgurante sensibilidade. Eu estava mesmo precisando lavar a alma, despoluir a mente, já cansadas de ler tanta matéria pesada, sombria e de uma aflitiva feiúra. Fruam o texto maravilhoso: 

"Já que ainda estamos no clima do Oscar, vou lembrar aqui um dos grandes vencedores dos anos recentes.
O sensível e inteligente O Lado Bom da Vida nos traz a história de dois personagens de temperamentos diferentes, mas que ao mesmo tempo se completam.
Pat, um cara que sofria com problemas de surto de raiva, tendo que aprender a controlar melhor suas crises emocionais.
E Tiffany, personagem que serve de redenção do briguento Pat.


Tiffany estava num momento tão confuso e perdido quanto Pat, mas a menina acaba servindo de catalizador de emoções do personagem nervosinho.
E é justamente na dança, o caminho usado como metáfora de transição dos personagens.


Algo parecido com o que acontece nesse BBB16.
Ana Paula tem toda sua importância no jogo, assim como Munik tem toda sua importância na Ana Paula.
É Munik quem humaniza a amiga briguenta.


É Munik quem representa um laço afetivo que torna Ana Paula humana na luta por sua causa.
Todo enredo de ação ou vingança é motivado por um instinto protetor. O herói tem de proteger ou salvar a mocinha. É isso que torna sua causa nobre.
Sem esse instinto maternal que Ana Paula tem pela amiga, a loira seria apenas uma pessoa barraqueira incapaz de demonstrar afeto por outro ser humano.
Munik conecta Ana Paula no mundo real. E tal qual no filme, é na dança que as duas extravasam o lado bom da vida no BBB.


A vida é como um pole dance:
As vezes se está por cima, as vezes se está por baixo… A gente gira, gira e acaba sempre no mesmo lugar…


Ana pode ser a personagem mais importante, mas Munik é o que realmente diverte esse programa.
A loira é um militar sempre armado pra guerra, enquanto a morena é quem torna tudo mais leve quando as duas estão juntas.
Até Cacau e Renan tiveram momentos divertidíssimos, na última festa, com uma dose de “Batida de Pequi”.
A ninfa embriaga todos que orbitam a sua volta, tornando o ambiente sempre mais leve e engraçado.


Ahh Piloto, então a Munik não tem defeitos?
Claro que sim! Ela é tão doida quando a maioria ali, mas em vez de expor suas fraquezas, Pequi nos mostra sempre coisas positivas.


Todos ali tem pecados. Acreditem, o ser humano erra sempre mais do que acerta.
Mas Pequi consegue transmitir uma leveza no meio de todo aquele manicômio de personagens defeituosos.
Munik é o lado feliz no meio de um campo de batalhas.


Uma menina de apenas 19 anos, que entrou com rótulo de periguete, é a maior surpresa dessa edição.
Pequi está longe de ser burra, boba ou focar seu jogo todo em função de algum macho. Munik, além de fazer um ótimo jogo social, tem uma leitura impecável de seus adversários.
Por trás daquele sorriso de sapeca, existe uma menina muito mais esperta e inteligente do que todos julgaram que ela seria.


Munik e Ana Paula são personagens tão complexas, que mesmo Pequi sendo a cabeça e Ana, a louca que age com a emoção, podemos dizer que é a loira quem pensa no jogo, enquanto é a morena quem emociona o público.
É quase como Grazi foi com Tati Pink e Babi foi com Helô. Elas se completam!


O carisma e entremetimento de Munik, ajuda a tirar o peso e amargura da amiga briguenta. Ana é a ação, mas Pequi é a alma da dupla.
Não por menos, eu torci pela Grazi, Babi e agora Munik.
Desculpe quem acha que o BBB é uma guerra, mas eu prefiro sempre escolher pelo lado bom da vida.
Postar um comentário