1 de abril de 2015

Esse poeta é uma grande piada!


Sou lindo! Quero fazer o Paparazzo! 
Perdedor que não sabe perder com dignidade e humildade é patético. Só a eliminação batendo nos fundilhos descuecados do poetinha pirado mostraria, na íntegra, a dimensão alopradaça do delírio de sapiência e grandeza desse cara, campeão em arrogância, empáfia, ausência total de humildade, cegueira para as próprias fraquezas, ridicularias e fracassos em seu esforço para parecer mais culto do que realmente é.
A forma soberba como ele rejeita mesmo as mais evidentes provas de estar errado naquilo que pensa e apregoa como uma verdade irrefutável e absoluta é de dar dó, pelo ridículo em que se coloca… Por tudo quanto disse no ao vivo e perante Bial, simplesmente ele revelou-se como uma pessoa que não sabe perder. Mesmo que as evidências estejam debaixo do seu nariz. É tão tomado pela soberba e pelo auto endeusamento que nunca concede a si mesmo a possibilidade de enxergá-las, mesmo que alguém chame a sua atenção para o fato, que desenhe, que esgote o repertório de argumentos os mais convincentes. Ele nunca erra, nunca está enganado, jamais deixa de ser o dono da razão. É muito gericocim esse abestalhadim fudidim... 
Quer frase mais equivocada e imbecil que esta: “Poeta não perde. A gente ganha na perda. A gente ganha no além-jogo”. Ai, Minha Nossa Senhora das causas impossíveis! Ajuda-me a não chorar de tanta emoção por ter conhecido alguém tão enormemente divinal, um autêntico representante dos Deuses do Olimpo perdido entre os reles humanos. Fui às lágrimas! 
Embora esse dissimulado tenha dito que não sabe se elogiar, não fez outra coisa dentro da casa, tal como continua fazendo fora dela. A vaidade balofa, impante e pedagoga desse abestadinho é indisfarçável, escandalosa, barulhenta demais... E como me dava canseira os intermináveis monólogos ininteligíveis do atoleimado, como me era tediosa sua redundância lexical e temática, suas frases de efeito, suas citações de autores consagrados, suas estudadas e decoradas explanações sobre o amor, a amizade, a poesia e outros temas que seriam interessantes se não fossem tão repetitivos… As palavras utopia, utópico, interlocução, doação, afeto, retórica, reverberação, ressonância, essência, entrega, verdade e outras tantas igualmente pedantes foram tão exaustivamente usadas que já não suportava mais escutá-las. Ai, que alívio de não ouvir mais aquela voz gasguita, desafinada como a de uma gralha bêbada. E aquela mãozinha coçando a orelha direita, e os intermináveis passeios na cozinha e sala, com os olhares esguelhados para os lados, falando sozinho. Que figura patética! Benzadeus! Cruz credo!
Esse cara pernóstico pode censurar o palavrório de Cézar? Este, pelo menos, não ficava fazendo de penico os ouvidos dos confinados, não ficava badalando suas baboseiras filosóficas, mas das vezes ininteligíveis, sem nexo e ditadas por sua vaidade ruidosa. Pena que nenhum dentro da casa tenha tido a coragem de gritar para ele: “O rei está nu!” 
Se é um poeta tão formidável, se escreve obras primas do lirismo mineiro, por que nunca recitou sequer uma das suas poesias? Devem ser autênticas obras primas, de fazer inveja a Camões e Pessoa! Conta outra, pirralhinho da mamãe! 
Que o poeteiro é inteligente, culto e usa um vocabulário rico e sabe expressar-se muito bem, disso não se pode duvidar. Mas, se é um bom poeta, isto só saberei depois que tiver lido uma composição sua. Amo a poesia! Ensinei literatura durante anos na UFRN, entendo do traçado! 
O que não entendo é como pode uma pessoa com tanta leitura, tanto estudo, inteligente e que se diz poeta consegue ser tão chato e dizer tantas asneiras! O cara é um baita xarope, cansativo, esnobe, exibido e insuportavelmente repetitivo! 
Eu não suportaria meia hora de conversa com ele, uma pessoa que não sabe ouvir, que tem compulsão para falar, que interrompe a fala do outro, que sobrepõe sua voz à voz do outro, que não descobriu ainda que o autêntico diálogo só se efetiva, quando estabelece um encontro entre duas consciências, uma comunicação profunda com o outro. Adrilles é um monólogo ambulante... 
Marco dava ótimas cortadas nas falas dele, quando era interrompido em algo importante que estava falando. Adrilles se sentia eclipsado pelo teólogo, mas metia o rabinho entre as pernas e fechava a boquinha pianinho.
Para disfarçar seus inúmeros complexos, Adrilles fica ridicularizando a si mesmo, fazendo zombaria de sua aparência física, fazendo piada do seu insucesso com as mulheres, com a mais evidente intenção de despertar a simpatia, a amizade, a compaixão e a atenção das pessoas que o rodeiam. Uma vez conquistada a sua presa, exaure-a, esgota a paciência, mesmo dos mais complacentes, buscando e cobrando uma atenção contínua ao seu pseudo-privilegiado intelecto, do qual se envaidece e se orgulha narcisisticamente... 
Esse comportamento esdrúxulo é doença. E doença que mina a saúde de quem tem a infelicidade de conviver com o palavroso compulsivo e sem limites. Camisa de força nesse cabra metido a sábio, que se enxerga como um gênio verbal! É um grude indigesto, um credo dosinfernos!
No chat o coisa linda estava deslumbrado com os holofotes e com tantas pessoas para vê-lo pavoneando-se. A humildade passou longe, dando “beijinhos no ombro” para os otários que o interpelavam. O bofezinho não admitiu que errou, tampouco que foi seduzido por Fernando e o protegeu. Logo, o poetinha das arábias continua cego e arrogante, um perfeito chatildo que mereceu, com distinção e louvor, a eliminação, o chute nos fundilhos que levou do caubói que tanto menoscabou. Vê se aprende, bostinha, baixa a bola coisinha inexpressiva, aprenda a ouvir os outros, o outro que você tanto menciona como essencial para que se enxergue, que se encontre, que construa o seu ser. 
Pena que isto que diz reiteradamente não passe de palavras ao vento, decerto lidas em alguma obra de algum filósofo famoso do século XVIII, e ditas como sendo suas. 
No programa de Ana Maria Braga, repetiu as mesmas ladainhas palavrosas, com as mesmas palavras, com a mesma intenção de arrotar cultura, exibir superioridade intelectual e vomitar sua verborragia decoreba, que já havia dito no chat, na casa e perante Bial. Que vexame! 
Na edição de ontem, Bial divou! Tratou Cézar e Adrilles em pé de igualdade, quando disse que ele (Bial), Cézar e Adrilles têm em comum a mesma paixão pelas palavras da língua portuguesa. Vamos ao discurso de Pedro Bial:

Primeira Parte (Para o público):

Adrilles, Cézar, cada qual ao seu modo próprio. Eles não poderiam ser mais diferentes. Porém eles compartilham a mesma paixão pela nossa Língua na ponta da língua.

Adrilles:
Quando eu vim para cá, eu evitei o clichê “eu vou ser eu mesmo”. Eu acho que a gente só acha o “eu mesmo” através do contato com o outro, do contraste com o outro. (calejei os ouvidos de tanto ouvir o cara repetir essa baboseira)

Cézar:
Eu sempre fui acusado, no início, de “ah, o Cézar Lima veio... à festa, a passeio! Está nesse deslumbre...”. Eu não deixei as críticas me afetarem. Porque era isso que eu vislumbrava, este desnudamento, para que o povo conheça a alma da gente, a verdade da gente, nossa história, nossa essência.

Adrilles:
Ao contrário do Cézar, eu não tenho muita certeza de ter encontrado nem minha alma, nem minha verdade, nem minha essência. Eu busco a minha essência através do contato com o outro. (outra frase feita super repetida)

Cézar:
É uma exuberância ilimitada, um manancial de encantamento. E que tangencia as vias perpendiculares do coração de forma implacável.

LEIA MAIS, clicando na frase abaixo


Adrilles:
A gente é igual a roda, a gente só se equilibra em movimento!(Argh! Pela enésima vez o cara repete esse besteirol!)

Segunda parte: Para a casa:

”Você e tu.
Sim, você se isolou e foi a maneira que encontrou de jogar o jogo de conviver.
Sim, você se jogou a todos os afetos e onde eles não existiam os inventou, deliberadamente cego à vilania.
Ambos negaram o jogo, cada um a seu modo.
Você nos deu uma piada boa, uma só, tantas vezes repetida, como um Garrincha do BBB, Driblando sempre para o mesmo lado, fazendo dessa previsibilidade sua maior surpresa.
Você trouxe todo um repertório de dribles, passes, lançamentos, jogadas lindas, intimidade total com a bola, mas, cafuringa, não se interessou a mínima em fazer um golzinho que fosse.
E gol quer dizer meta, objetivo, é o objetivo do jogo.
“Jogo, que jogo?”, responderia você...
Não se arrependa: pregar no deserto é negar o deserto.
Como disse o príncipe* que você tanto ama:
"Há uma providência especial na queda de um pardal.
Se tiver de ser agora, não está para vir;
Se estiver para vir, não há de ser agora;
E se não for agora, mesmo assim há de vir.
O estar pronto é tudo.
Se ninguém conhece nada daquilo que deixa, que importa deixá-lo um pouco antes?
Seja o que for!".
Foi, Adrilles Jorge.

*Hamlet, de Shakespeare

O apresentador pronunciou um discurso de arrepiar! Dos melhores que já fez nesta edição! Descreveu com precisão o perfil, a personalidade, as atitudes dos dois emparedados dentro da casa. Todavia, apesar de mostrar o equívoco de Adrilles em relação a Fernando, expôs de forma direta e inequívoca quem é o tal vilão do BBB15. E por fim foi cordial com os dois emparedados, nenhuma censura, nenhuma reprimenda, apesar de saber que Adrilles desconstruiu, com sua teimosia burra, a gran finale do BBB15, quando jogou Marisa e a si mesmo no paredão com o participante mais forte e notoriamente favorito do público, que o havia salvado de sucessivos paredões. 
Adrilles foi o responsável pela frustração do público de ver na final os três participantes mais desejados: Mariza, Cézar e ele próprio. Deixou no seu rastro de belas cagadas o casal asqueroso. Se pudesse teria chutado Cézar do programa, sentia inveja do grandão musculoso, sempre feliz, bem humorado, alto astral, apaixonado pelo BBB e cheio de planos para o futuro que, em seu inarredável otimismo, vislumbra como pleno de realizações pessoais.
Fernando entendeu direitinho o recado de Bial, completado pelo coro do público das arquibancadas, gritando “Cézar Campeão”! Agora ele e a macumbeira sabem que estão muito mal vistos fora da casa, só que disfarçam muito bem essa incômoda e frustrante realidade... O discurso de Bial foi bem claro...basta ter ouvido a frase " FICOU CEGO DIANTE DA VILANIA", dirigida a Adrilles... E eles ouviram e entenderam muito bem quem são os praticantes de tal vilania!
Ontem à tarde, Adrilles e o casal nojinho estavam na varanda da casa, enquanto Cézar dormia como um justo, no sofá perto da piscina. Os três se puseram a debochar dele, a fazerem piadinhas com a tranquilidade do caipira, certos de que ele seria eliminado naquela noite. Adrilles é tão baixo, corrosivo e mau quanto o casal podre... Nivelou-se com perfeição aos deboches, ironias e sacanagens da dupla sócia do capeta. 
A esta altura, a macumba da macumbeira fedida deve estar sendo feita a todo vapor! O quarto do líder sempre foi o lugar ideal para os rituais dela. A edição mostrou-a acendendo uma vela, pegando o fio de contas e nós de nylon, entrelaçando-o nos dedos e calada. 

14 comentários:

Anônimo disse...

Poesia do Adrilles, mostrada no BBB, lida por Bial (e para suas considerações, Eva):


Outro dia

Livrai-me do nada, eu pedia
E o nada persistia
Bravio, indômito, a vencer o meu dia
Como, de resto, nada mais podia
contra o nada, me rendi,furibundo
com nada mais a colher do mundo

Mas eis que um certo velho dia
do nada, plantei a epifania:
do pretenso nada criado, criei seu avesso
tatuado na carnadura do começo
de um ato trespassado por seu fim
(liberto de nada, enfim?):

bastou um aceno ao vento
e este, em prestimoso lamento
me soprou, em tediosa harmonia
que o nada nada mais podia
contra a brutal indiferença
do nascer de um novo dia

Livrai-me do nada, eu pedia
e em alegre desespero, percebia
que de seu provisório desterro
o falso nada por tudo me sorria.

--------------------------------------------------------------------------
http://adrillesjorge.blog.uol.com.br/arch2009-05-10_2009-05-16.html

Ana Cristina da Silva disse...

Nossa!!!! Perfeita sua colocação sobre o Adrilles, não tenho mais nada a acrescentar. Parabéns pelo bom texto. Agora é só esperar e ver se a Globo vai deixar o César ganhar. P.S.: Espero que a Mariza tenha visto tudo o que o Adrilles falou dela sobre ter ciúme dele com a Tamiris e ter atrapalhado o relacionamento que nunca existiu, sobre ter contado ao Fernando tuso o que a Mariza achava nos últimos dias sobre ele, enfim todas as fofocas maldosas que o Adrilles fez sobre a Mariza. Nem na Ana Maria Braga ele falou muito sobre a Mariza, e o que todos pensavam que era uma amizade, pra mim me parece que o Adrilles tinha a Mariza como ouvido de penico pra ouvir as merd... que ele falava mas que nunca nutriu um verdadeiro sentimento de amizade por ela, pois hoje ele só teve elogios para Amanda. Deu a impressão de que não quiz admitir que estava errado sobre o casal e se defendeu falando sobre o amor da amanda pelo Fernando, amor este que não existe e está bem claro. nem da parte dela e nem da parte dele, apenas jogo e sexo, nada mais.

Ana Cristina da Silva disse...

Nossa!!!! Perfeita sua colocação sobre o Adrilles, não tenho mais nada a acrescentar. Parabéns pelo bom texto. Agora é só esperar e ver se a Globo vai deixar o César ganhar. P.S.: Espero que a Mariza tenha visto tudo o que o Adrilles falou dela sobre ter ciúme dele com a Tamiris e ter atrapalhado o relacionamento que nunca existiu, sobre ter contado ao Fernando tuso o que a Mariza achava nos últimos dias sobre ele, enfim todas as fofocas maldosas que o Adrilles fez sobre a Mariza. Nem na Ana Maria Braga ele falou muito sobre a Mariza, e o que todos pensavam que era uma amizade, pra mim me parece que o Adrilles tinha a Mariza como ouvido de penico pra ouvir as merd... que ele falava mas que nunca nutriu um verdadeiro sentimento de amizade por ela, pois hoje ele só teve elogios para Amanda. Deu a impressão de que não quiz admitir que estava errado sobre o casal e se defendeu falando sobre o amor da amanda pelo Fernando. Amor este que não existe de ambas as parte, apenas jogo e sexo, nada mais.

Anônimo disse...

E o poeta se revelou um completo imbecil!

Não acho ele NADA ingênuo e bobinho, como muitos ainda defendem por aí.... Ele é teimoso, cabeça dura e orgulhoso! Insiste em repetir o mesmo discurso irritante e não quer ouvir ninguém, não admite voltar atrás e rever seus conceitos e opiniões sobre quem conviveu com ele no BBB....

Ontem no chat depois da eliminação e hoje no Mais Você, outras pessoas tentavam abrir seus olhos, mostrar os fatos pra ele, mostrar quem são Amanda e Fernando de verdade... Mostraram vídeos e ele com o mesmo discurso idiota, defendendo aqueles 2 lixos que não valem nada....

Então tem mais é que se ralar mesmo!!! Tem que tomar muita porrada da vida pra ver se aprende....

Já foi tarde poeta de meia tigela!

Paula

Bandys disse...

Boa noite Eva,

Muito bom , é tudo que eu acho.A soberba e a arrogancia dele deu-lhe uma rasteira. E o egocentrismo meteu ele na roubada. PO Marisa havia dito que não queria ir com Cesar. Ele cagou e andou. Achei que Bial ontem falou tão enfatico que me pareceu um desabafo.
E inteligente como Adrilles é na metade do discurso, ele ja sabia que tinha sido eliminado.
se voce quiser ver as poesias dele este é o link: http://adrillesjorge.blog.uol.com.br/

Hoje o casal nojo tava um nojo.hahaha Pareciam os donos da casa com o seu convidado.
Na minha humirde visão Fernando esta muito cabreiro, mas muitoooooooooo. Ela eu ja acho que não pegou muito o que Bial falou, parece que não caiu a ficha, e tudo que ela queria ja esta nas mãos dela.(além dos premios)a vingança em relação a Aline.
É isso.
Festinha Paris pro nosso Matutão.
(chupa pereba)

Bj

Anônimo disse...

Adrilles = filósofo de discursos vazios, repetidor de frases feitas, papagaio de enciclopédias. "Porque você acreditou tanto no Fernando?" "Apenas evitei conspurcar epifanicamente as catarses obstaculizadas pela simbiose latente entre a insanidade advinda do confinamento e o caráter intrínseco de cada participante".

Anônimo disse...

Interessante hoje na cozinha, Fernando conversando com Cezar, tecendo altos elogios a postura dele no jogo, dizendo que nunca o viu falar mal de ninguém, que a única vez que o viu falar um palavrão foi ontem bla bla bla bla... Fernando falava com uma voz macia, de amigo... isso depois de ontem após o resultado, ter ficado um tempao abraçado com a Panda, sem cumprimentar o Cezar. Depois de um bom tempo, quando a torcida começou a gritar "Pentacampeão", é que o casal deu parabéns ao Cezar. O Cezar corre risco de o Fedido se tornar seu amigo de infância agora.

Anônimo disse...

Ai ai, to aqui morrendo de rir:
Amanda: "Amor eu quero te agradecer por esse jantar incrível, por essa comida maravilhosa"
Fernando: "Me agradecer, pelo que? Não fui eu que fiz nada, agradeça pela boa companhia né Cézar?"
Já tá na final mesmo, hoje ele passou o dia dando patada nela...

Anônimo disse...

Poeteiro de araque! Em algumas entrevistas e mesmo depois de alguns falarem sobre o casal fake, mesmo depois de Mariza falar também, continuou dando as mesmas desculpas. Não admite que errou com sua "melhor amiga" Mariza. Não verteu uma lágrima quando ela saiu do jogo, pelo contrário, logo estava às gargalhadas com o casal nojo. Deve a ela um pedido de desculpas em rede nacional, já que tirou a chance dela ganhar um prêmio na final do programa. Mais sincero foi o Cezar que na despedida disse à Mariza palavras lindas, com sentimento de pesar verdadeiro pela saída. .

Anônimo disse...

Cara acabei de mandar umas msg erradas, apesar de saber que vc nao ira postar, foi sem querer ta???
Foi sobre o caso joao helio...
bjos e abracos e mil desculpas

Anônimo disse...

"uma leitura que ele fez de que o casal, por conta da inconsistência e fraqueza de Fernando, sofria rejeição do público. Pensa comigo; se o casal sofre rejeição e Adrilles "acha" que tem chances contra Cezar, quem seria o campeão caso Cezar saísse neste paredão? Bingoooo!!! Portanto, ir ao paredão com Cezar foi uma escolha consciente, seguindo a mesma estratégia que começou com o paredão de Mariza, de, pelas beiradas, sem ninguém perceber, muito pelo contrário, considerando-o magnânimo, chegar à final com o casal, ou seja, com os dois concorrentes que ele achava que, dentre os cinco finalistas, eram os que menos o ameaçavam.

Eu não diria que foi um jogo sujo, mas que foi a jogada mais idiota de todas as edições, com certeza foi!"

fonte: Votalhada

Zenobia Collares Moreira disse...

ANÔNIMO

que enviou por engano uma mensagem sobre o garoto João Hélio. Entendi que você não gostaria que eu publicasse sua mensagem e a deletei. Mas, gostei muito de lê-la, porque sou Espírita e creio no fato que você relatou. Vou publicá-la no meu blog espiritualista. Um abraço.

Zenobia Collares Moreira disse...

ANÔNIMO que me enviou a poesia de Adrilles.

Li o texto com atenção. O estilo , a forma de expressão, o vocabulário culto e um tanto precioso, semelham as poesias do poeta português, do século XIX, Antero de Quental. Adrilles ainda usa versos rimados, hoje quase de desuso.
De certo modo, parece receber influência, também, de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa.
Não digo que seja uma poesia de má qualidade, mas é muito rebuscada e cheia de jogos de palavras, bem ao gosto dos poetas do período barroco.
Estranho esse cara. Não compraria seu livro.

Anônimo disse...

Concordo totalmente com o seu artigo...o Adrilles não gosta de Mariza, não a respeitou, não a ajudou qdo ela estava no paredão e ainda a caluniou, depois que ela saiu, dizendo que ela tinha ciúmes do casal(!) e que fez de tudo para atrapalhar o pseudo caso dele com a Tamires (!!!). Ele só gosta de si mesmo e quer as pessoas por perto somente para despejar sua verborragia...ah, e não concordo com os que falam que César se isolou..em TODOS os momentos que ele vai falar, alguém corta ele...e, como ele é educado, ele se retrai....César merece ser campeão por todo o bullyng que sofreu e só pra terminar...onde foram achar pessoas tão horríveis, como Talita, Amanda, Tamires, Angelica...esse era o quarteto das trevas...qdo elas atacavam uma pessoa pareciam um bando de harpias...dava medo....se houver uma próxima edição, que escolham pessoas menos virulentas...com esses exemplos a gente acaba perdendo o resto de fé que ainda temos nós seres humanos....