[Valid Atom 1.0] [Valid RSS] Rabiscos de Eva: Que gentalha é esta?

23 de março de 2015

Que gentalha é esta?

Ficaaa, Mariza!
Não estou com bom estado de espírito para escrever uma postagem, sem carregar demais nas tintas, sem pegar pesado com o cabrãozinho mimado, filhinho da mamãe, o mesmo que inferizou a vida de Tamires dentro da casa, o mesmo bocudo, incapaz de guardar uma confidência, pedante e arrogante, morto de inveja dos prêmios de Mariza e dos músculos de Cézar, além de apavorado com a possibilidade de perder o prêmio milionário para a professorinha que ele tantas vezes menoscabou. Assim, tomei a liberdade de postar os comentários de dois comentaristas do excelente blog Artigolândia, do amigo Art, que considero de leitura imperdível, seja pelas inteligentes, sedutoras e lúcidas postagens do blogueiro, seja pelos comentários igualmente inteligentes, interessantes e simpáticos dos/das comentaristas que frequentam assiduamente o espaço, com contribuições excelentes para quem gosta de análises sérias e bem escritas. Escolher entre tantos não foi fácil. Optei por dois comentários com os quais me identifiquei, por expressarem o que eu gostaria de escrever. São eles Jack e Rúcula. Vamos aos seus escritos:

"Adrilles cagalhão", só digo isso!
O cara supostamente tem uma aliança/relação de afeto com a Mariza e manda ela pra parede com um cara supostamente forte? Um cara que a Mariza não queria ir com…?
Por que não dar a aliada o desejo realizado então, de ir com quem ela queria, no caso o Fernando?
Manipuladinho da porra.
E Fernando mostrando que o jogo dele foi extremamente eficaz – pra dentro, porque sabe que em paredão é no mínimo 85%. E a Mariza percebendo só agora".
Autor: Written by Jack . Comentarista do blog Artigolândia.

"É um “jogo poeta”. Só os extremamente sensíveis o entendem. E entendem, até mesmo sendo ela a que o acompanhou em todas as solidões e zarações vividas. Mas, todo poeta é humano e tem culhões… para ir a uma final só?
Sei não. Não os teve para respeitar a parceira de jogo desde o início. Não os teve para não a respeitar, agora, por seus tiquetes cotidianos como o roncar. Não os teve para a cumplicidade precisa: a da hora difícil. Não os teve para, sozinho, fazer a mínima leitura do jogo. Não os teve para se lembrar que no enfrentamento físico com Luan – por causa do homem de todas as mulheres e noites – foi ela a socorrê-lo em busca de defesa.
Não os teve, para entender o que ela queria lhe dizer sobre o fala mansa ser amado por todos e estar envolto em todos os conflitos da casa. Não os teve para reconhecer no trabalho dela o mesmo valor do trabalho que ele tanto alardeou no da comunidade. Não os teve para um voto necessário que não a livraria do paredão mas que era o preferido por ela. Não os teve,
principalmente, agora no final, sendo covarde o suficiente para chamá-la – “entredentes e prejorativamente”, de “GOVERNANTA”…
Jack! você fez a pergunta: teria ele culhões de votar no fala mansa? Quem sabe ele achou que sim?… Triste poeta! Triste homem! Triste companheiro de papos políticos: aquela turma não contava com essa. Vá em frente!
Talvez pela última vez, mas com a maior força, eu grito: GO MARISA!"
Autora: Rúcula. Comentarista do blog Artigolândia.

De mim, só tenho a dizer que torço por Mariza, de coração partido por ver Cézar competindo com ela num paredão cruel, injusto armado por três pessoas que se atraem pela semelhança de sentimentos mesquinhos, por pertencerem a mesma raça anã de alma obscura. Se Mariza for eliminada, Cézar vai meter terrorismo com sua quinta vitória contra os que, desde o início, o perseguem, menosprezam, tratam-no como gente de terceira classe. Quero Mariza vitoriosa nesse paredão e na última disputa pelo prêmio milionário que somente ela e Cézar merecem. Os outros três deveriam ter vergonha de olhar a própria face no espelho!
Postar um comentário