4 de dezembro de 2013

O que esperar do BBB14?


O Big Brother Brasil 14 já está sendo montado. As inscrições para participantes foram encerradas. Portanto, os dados estão jogados... Vamos aguardar para ver quem serão os felizardos da nova temporada que deverá ter início no dia 14 de janeiro/2014. Segundo informações que chegaram a mim, Bonifácio (Boninho) vai ficar apenas orientando a condução do reality global, passando a linha de frente para outras pessoas mais jovens. Não acredito que esta turminha, discípula de Bonis, venha a acrescentar nada de bom ao que já está ruim demais há muito tempo, devido à insânia da vaidosa e arrogante dupla Bial/Bones. Desde o BBB11, o programa vem rolando numa vertiginosa queda na qualidade, em todos os sentidos, notadamente na escolha dos participantes. Há muito tempo não se vê no BBB jogadores assumidos, dispostos a jogar com inteligência, habilidade e atitude. Não. Isso é coisa do passado que teve em Dourado seu último representante e na edição em que este participou a última a empolgar o público
Decerto, vão incluir no elenco uma meia dúzia de ex-BBBs, apesar do fracasso da tentativa feita na edição 2013, empurrando goela abaixo dos telespectadores seis ex-participantes, dentre os quais somente dois tinha condições de retornar: Bambam e Domini. Mesmo assim, o querido Domini já não era o mesmo, envelhecera, perdera a garra de excelente jogador que mostrara na terceira edição do programa. Os outros quatro eram o que havia de pior na história do programa. Yuri nem merece comentários, nunca vi tanta boçalidade e empáfia concentradas em um só inexpressivo ser humano. Quando as três mulheres, escaladas do time das queridinhas de Bonis e Bial só deram vexames. Maroca promovendo barracos lastimáveis e cenas de teatrinho reles para aparecer e se impor como a vencedora inconteste, desde a primeira semana. Uma gralha incômoda, soberba e sem respeito com o público. As outras duas: Fani e Nathalia centralizaram espetáculos deprimentes de bebedeiras, baixarias sexuais sórdidas e bajulação rasteira derivadas do medo de serem indicadas ao paredão.
Fani Pacheco, depois do insucesso da tentativa no BBB7, no qual lançou a moda da baixaria sexual do programa, mesmo não passando de mera coadjuvante da dupla que encantou o país (Alemão e Siri) a insana criatura ainda acalentava a risível pretensão de retornar ao programa e virar protagonista e a incontestável campeã da edição. Fani protagonista... hahahahahahaha! Só mesmo na exuberante e fantasiosa imaginação dessa delirante. Fani sempre foi e será uma grande piada! A mulher não tem carisma, embarangou, estava gorda e pesadona, doidaça como sempre e mantendo uma relação estranhíssima com Nathalia e Maroca, com as quais tentava passar uma imagem de bissexual. O resultado da lastimável passagem das três afilhadinhas de Bonis e queridinhas de Bial pelo BBB13 foi a constatação de que nunca passaram de insignificantes coadjuvantes, gravitando na sombra dos demais, porque nenhuma tem personalidade marcante, tampouco a irresistibilidade dos carismáticos e inteligência para protagonizar coisa nenhuma na TV. Maroca teve um arremedo de programa, bancado por ela mesma, que foi um fiasco. Nathalia tinha um outro de pura futilidade e fofocalhadas sociais e a super fanha Fani estrelou programinhas reles, de mau gosto, eróticos ou de sexo explícito, que é só o que ela sabe fazer! Todas atuaram em Tvs secundárias, sem expressão no ranque das grandes emissoras. As três foram defenestradas em paredões homéricos, para alegria dos milhões de votantes que abominavam suas presenças execráveis no programa. 
O gratificante para quem teve de suportar a presença dessas três barangas decadentes no BBB13 é a certeza de que estamos livres delas para sempre. Vade retro! 
Aí, Bonifácio, será que aprendeu a lição? Gostou de ver Fani Fanha sair reclamando e falando mal da produção? Gostou de vê-la se sentindo injustiçada por não ter sido a campeã, por culpa sua que não permitiu que ela ingerisse remédios tarja preta no confinamento? Aprendeu que o BBB não é lugar para gente com problemas psiquiátricos? Se aprendeu vê se escolhe melhor as ex-participantes que entrarão no BBB14. Pelos boatos que rolam na net, as candidatas são tão abomináveis quanto foram as três véias que encheram nossas paciências no BBB13. Será que pretende mesmo escalar Monique Amim, a depravada que provocou a expulsão do cara com quem deitou, rolou e gostou, a mesma que corria atrás do coitado Jonas com a perereca em chamas, a barraqueira e espetaculosa que o público eliminou no primeiro paredão que teve, depois de evitá-lo se fazendo de coitadinha... Será que vai mesmo chamar Renatina Surfistinha e Laisa fogosa que nada acrescentaram ao programa, a não ser as cenas de sexo ao vivo e a cores... Espero que estejamos livres de Priscila, a coleguinha de Fani nas séries solft-pornô que protagonizaram no Multishow. Esta já tem dois filhos, embarangou e se não fosse o esforço homérico que faz para se mostrar no Instagram e junto a um coleguinha da EGO, já teria caído no limbo do esquecimento total. Maria Melilo está fora de cogitações, não tem mais saúde para encarar o confinamento, depois de uma cirurgia para a retirada de um câncer no fígado. Desejo que fique totalmente curada e vá curtir a vida longe do BBB. 
Se a produção quer trazer de volta ex-participantes, que escolha com inteligência. Já viram que o público não aprovou os seis escalados para a edição anterior. De qualquer forma não creio que nenhum venha a fazer o sucesso que fez Marcelo Dourado. Portanto, que venham novas pessoas, interessantes, inteligentes, dispostas a brigar pelo prêmio, jogadores decentes, éticos e com grandes habilidades em suas estratégias. Só assim teremos um programa atraente, empolgante, capaz de mobilizar um grande público. 

Para mim, os melhores ex-BBBs são os que somem após o programa, os que não ficam como ostras agarrados à fama ilusória e passageira do pós-BBB. Benditos os que compreendem que os holofotes não será para sempre. Que só os super carismáticos permanecem na mídia, os demais serão jogados na sombra do esquecimento.

Nenhum comentário: