2 de março de 2011

Um Requiem à feminilidade e à dignidade perdidas...



O assunto polêmico na tarde de ontem (dia 1) foi a exposição de Diogo acerca do que ele pensa das mulheres. Não das mulheres que assumem uma linha de conduta pautada na dignidade, no respeito por si mesmas e passam por muito longe da vulgaridade, da permissividade e da promiscuidade sexual dominantes, cujo exemplo mais evidente estamos tendo na casa do BBB11.

Não concordo com a forma exagerada e agressiva usada por ele para expor sua opinião. Todavia, creio ser impossível negar que suas palavras reduplicam a opinião de uma grande parcela da população, de ambos os sexos. Ele não inventou nada, o que falou é a mais irrefutável verdade. Hoje em dia, as mulheres estão mesmo piores do que os homens. Querem tanto se igualar a eles que assumem e põem em prática justamente seus piores comportamentos, vícios e costumes.

Infelizmente, interpretaram a igualdade entre os gêneros de forma equivocadamente desastrosa e oposta ao que pretendiam as mulheres que pugnaram pela valorização da mulher, por um tratamento social e trabalhista paritário ao que era concedido aos homens. Em nenhum momento do movimento feminista foi reivindicado para as mulheres o direito de se tornarem depravadas, promíscuas, pegadoras, desbocadas, vulgares e ordinárias. 

É deplorável que tenham perdido a feminilidade, a meiguice, a ternura, o recato e o poder de sedução derivado de sua maneira de ser tipicamente feminina. É triste ver o quanto se tornaram vulgares, rastejantes e sem noção do quanto são ridículas ao se comportarem como machos. Vale salientar que as cenas de puteiro que vemos no BBB11 nada mais é que o fiel retrato atual da sociedade brasileira, em queda livre rumo ao abismo da decadência moral, da falência dos princípios pautados na decência e na valorização do homem. 

Duvido que a maioria aplauda o que fez Natália e Michelle, especialmente na festinha que teve André Marques como Dj e ambas bolinaram o cara e se deixaram bolinar por ele, além das festinhas que faziam sob o edredom com Diana e Diogo, respectivamente. Duvido que a maioria não sinta asco das conversas porcas e da conduta reles de Maria, Diana, Paula, Jaqueline e Talula, mulheres infantilizadas, imaturas, vazias, incapazes de travarem uma conversa interessante, inteligente sobre um tema da atualidade. Diogo, que chafurdou com todas elas (salvo Diana e Natália porque estas gostam de sacanagem com mulheres), especialmente sob o edredom, falou com conhecimento de causa.

Demonizaram Diogo por ele ter dito que mulher que se faz de santa e vai para a cama com homens, na primeira vez que se vêem, é puta. Sim... demonizam o cara, como agora tentam demonizar MauMau por rejeitar a mulher mais “virtuosa” e pura da casa: Maria... A lindinha inocente que não sabe onde perdeu a dignidade, o amor próprio e o respeito por si mesma. A “mala” (ou será “mula”?) obsessiva doida por sexo que assedia o rapaz, não porque o ama, mas por desejar transar com ele a qualquer custo. Isto é coisa de “quenga”. Na madrugada, ela , mais uma vez, fez barraco porque se sentiu rejeitada pelo macho que não a quer em sua cama. Que mocinha virtuosa!

Diogo teve na casa uma amostragem significativa do baixo nível moral da mulherada, desde o início do programa, inclusive com a sonsa Talula. Apesar de ser namorada de Rodrigo, ela vivia aos abraços, chamegos e conversinhas enviezadas com o bahiano, chegando a ser surpreendida, na companhia dele, toda aconchegada sob o edredom, vestida apenas com o roupão. O frouxo do Rodrigo apenas fechou a cara e a censurou por estar sem calcinhas e soutien, abraçada com o “amigo”. Por esta e por muitas outras situações dúbias da dissimulada criatura, Rodrigo passou a sofrer as insinuações de Bial de que estava sendo corneado... O bananão reclamava os exageros dela com o Gago, mas a coisa continuava. Depois de viúva, maneirou. Voltou, no entanto, a ter recaída com Rodrigão, no qual dá bons esfregaços nas festas, sob o edredom e... sabe-se mais onde e quando!

Jaqueline, depois de muitas “brincadeirinhas” se sedução com Rodrigão, nas festas, apresentou-lhe a xoxota em festinha privê sob o edredom, com direito a passadinhas de mão do bonitão no fio do O.B. da fogosa morena. Depois de tal episódio, como pode um homem respeitar uma mulher tão desfrutável, capaz de atitude tão ordinária?

Paula é aquilo que se viu e se vê: traça homens e mulheres, se dizendo Trissexual (que diacho é isso?). Sem uma mínima parcela de auto crítica e sob o prisma de uma evidente distorção da própria imagem, se acha a linda e gostosa da casa, usa um micro biquíni, que quase desaparece nos abismos insondáveis do toucinhudo traseirão e, além da exuberante fantasia, salpicada de delírios, com que sufocava Cristiano, sua paixão hetero, pratica a sua trissexualidade nos showzinhos do “doce de leite”, lambuzando-se com homens e com Diana. Moça virtuosa, não é mesmo? Tão virtuosa que, após ter sido desacatada por Diogo, aceitou deitar-se com ele na cama casal, permitindo que ele se aliviasse naquele traseirão balofo e disforme. Isto não é comportamento de quenga? 

Diana é a lésbica, pseudo-intelectual, a quem as fãs atribuem uma inteligência assombrosa, uma personalidade admirável, além de levar o rótulo de grande estrategista e jogadora extraordinária. Todavia, esta mulher tão cheia de virtudes e qualidades ímpares, até agora só tem mostrado seus talentos para a promiscuidade, para protagonizar deprimentes e deploráveis exibições de pegação, ora com homens, ora com mulheres, ou em despudorada alternância, para gáudio dos que servem de platéia para tais vulgaridades. Será que isto não é putaria? Não é depravação? Decerto, para as super liberadas, tais práticas só são coisas de quengas e putas na cabeça de “gente atrasada”, “preconceituosa” e maldosa, como Diogo e uma expressiva quantidade de pessoas, de ambos os sexos, dentre as quais me incluo.

E o que dizer de Maria? Agora querem defendê-la, colocando-a como vítima de MauMau, numa aflitiva distorção dos fatos e lastimável deturpação da verdade, testemunhada pelo Brasil, do Oiapoque ao Chuí. Ela é a que mais confirma e exemplifica o que disse Diogo sobre a putaria das mulheres. Maria se fazia de menina pudica com MauMau, antes da saída dele da casa. Nunca ficou gritando por sexo, mantinha um namoro sem exageros, não falava obscenidades para ele, além de não transar sob o edredom, como ele afirmou ao sair, dizendo que não rolou nada porque ela não permitiu. 

Foi só entrar Wesley para a Meg Melillo mostrar seu gosto pela safadeza. Com a volta de MauMau, acabou de despencar a máscara de boa moça e entrou em cena Meg Melillo. Aí, a santa mostrou a sua verdadeira índole, seu jeitinho quenga de ser, esfregando-se em Wesley, torturando MauMau com seu furor uterino e deixando-se usar por Diogo nas calientes madrugadas no quarto da xepa. Se isto não é putaria descarada, então o que é? 

Depois de tudo quanto soube fora da casa, do que soube acerca do envolvimento dela com Wesley ao retornar e, mais ainda, após vê-la comportando-se de forma tão rastejante e ordinária com ele, forçando uma transa que ele não deseja, dizendo-lhe safadezas que dão conta do tipo de mulher sem brios que ela é... Como acham que ele é o algoz de Maria? Onde está o erro de MauMau em relação à Maria? É o fato dele não ter dito com todas as letras o que soube fora da casa? É porque ele evitou ser grosseiro com ela? Ora, ora, Maria não é tão tapada assim. Ela faz muito teatro, faz tipo para sair bem na edição. Ela já está careca de saber que ele não a quer mais. Uma mulher com 27 anos, com tanta rodagem no mundinho estreito, obscuro e depravado das exibições erótico-pornôs que circulam na Net. Maria é escolada na arte da sedução, sabe muito bem quando é rejeitada. Só que a Super Star do DreamCam, Meg Melillo, não aceita ser desprezada, não admite que homem algum diga Não aos seus encantos. 

O errado não é MauMau. Se fosse ele a fazer com Maria o que ela faz com ele, decerto a Net em peso estaria pedindo punição severa para ele, sob a acusação de assédio. Se não fosse expulso do programa por tentativa de estupro. Nessa história sórdida é ela quem vem perseguindo o cara da forma mais torturante, nojenta e aviltante. Sábio foi Wesley que percebeu logo que Maria era mais perigosa que despacho de macumba em encruzilhada e tratou de afastar-se dela, selando sua atitude com as verdades que lhe disse, fazendo-a recolher-se à sua indefectível insignificância, e deixando bem claro que ela era mulher desfrutável, cujo interesse que despertava se resumia em tirar proveito numas esfregadas e nada mais.

São mulheres como Maria, Paula, Jaqueline, Natália, Diana e Talula que implodem a dignidade feminina, que reduzem a pó todo o trabalho suado e difícil das feministas, durante anos de luta, pelos direitos das mulheres, pelo respeito que lhes era negado, pelo reconhecimento das suas qualidades intelectuais e da sua capacidade profissional, paritárias com as dos homens. Fúteis, superficiais, vazias e preocupadas apenas com fama, diversão, bebedeiras e sexo, muito sexo e promiscuidade, não passam de figuras caricatas, são mulheres apenas no aspecto exterior, na casca lipoaspirada e siliconada dos seus corpos malhados. Porque na essência, na alma, na consciência de si mesma, enquanto “ser feminino”, elas são uma nulidade. Estão muito longe de alcançar a plenitude da feminilidade, só possível se for erigida sobre os sólidos alicerces da dignidade, do respeito, da integridade e da sabedoria que traduzem a grandeza da mulher. 

Os direitos igualitários entre os gêneros, pelos quais lutaram as feministas são significam a imitação ou a adoção, pelas mulheres, do que há de pior nos comportamentos masculinos, rejeitados pelos próprios homens dignos e íntegros. Daí, Diana ter chamado Diogo de “babaca” por ter dito que mulher fazer sexo com homem logo na primeira vez que o vê é coisa de puta, acrescentado a idiota pergunta: “Se homem pode fazer sexo não primeiro encontro, porque a mulher não pode?”. Acredito que não merece sequer comentário tal disparate e alienação. Pobre Dianão! A Morango, pelo menos, defendia a causa GLS, seguia uma ideologia, verbalizava suas idéias, posicionava-se. Certa ou errada, era uma mulher com atitude. Diana é uma tola, uma lésbica babaquinha e exibicionista, sem nada na cabeça oca, onde fervilham suas mal alinhavadas idéias sobre liberação feminina.


Nenhum comentário: