17 de fevereiro de 2011

A viúva Porcina e etc...


As únicas coisas que ainda me interessam no famigerado BBB11 são as provas e os dias de indicação ao paredão e de eliminação, especialmente quando são defenestrados os que abomino, ou seja, quase todos. Só fiquei frustradérrima, quando Diana voltou. Agüentar a magricela desprovida de feminilidade e simpatia, mal humorada e cheia de soberba... É dose para paquiderme! 

Depois da saída de Natália, “a viúva Porcina, a que é sem ter sido”, está ainda mais insuportável, verrinando contra Adriana com um ódio desmesurado, ainda sustentando a mentira sobre a forma como foi “maltratada” pela jovem que ousou dizer-lhe na cara brancosa e inexpressiva o que ninguém, entre os covardões da casa, tem a coragem de dizer “face to face”. Para a auto estima da intocável e orgulhosíssima Diana, o simples fato de ter sido censurada por uma novata, que, ao contrário dela, não teme paredões nem revanchismos, constitui crime de lesa majestade, punível com outro paredão, desta feita com um homem, conforme já está de combinatas com Talula. O engraçado seria se fosse com Diogo, que equivocadamente todos julgam o invencível. 

Na festa de ontem, a inconsolável viúva Porcina estava amarga, com sangue nos olhos e com o pior dos humores, mirando Adriana com ares draculanianos. Dava a impressão que ia pular no pescoço da Miss com ganas de estrangulá-la. De farol apagado, a ex-promotora da baixaria sexual nas festas, findou sendo protagonista de uma discussão com Daniel que poderia ter sido trágica se não fosse tão cômica... Motivo do stresse: O pernambucano, brincando, rotulou a maga da liberação feminina com um termo (por sinal muito adequado a ela) que a enlutada dama não gostou: viada. Hehehehehe... Só rindo para não chorar... Tem horas que Daniel consegue me fazer rir gostosamente. A discussão com Dianão, tirando-a literalmente do sério, foi um destes deliciosos momentos que nos deixam cheios de comícios por dentro... 

Daniel, já é famoso por se exceder nas festas do “Big Bordel Brasil 11”, na de ontem conseguiu bater o seu próprio recorde. Para lá de bêbadaço, o pernambucano aprontou todas, fez brincadeiras com o Big Fone, indicando pessoas ao paredão, em alto e bom som (Diogo, Rodrigão e Maria), deu uma de tarado com a mulherada, chegando até a atacar Adriana, que tentava dormir no acampamento. “Sai, Dani. Você está muito tarado hoje”, reclamou a estudante. Ri com algumas coisas, mas não gosto nada, quando ele chama Rodrigão de viado, aos berros. Se isto não é uma tremenda agressão verbal, bem pior que as ditas por Diogo à Paulinha, então o que é? 

Daniel é engraçado até certo ponto. No momento em que passa a dizer pornografia pesada, a gritar por um “baseado”, a faltar com o respeito com as pessoas, reduplicando comportamentos que, se fossem praticados por Diogo, seriam motivo para a execração do Gago, mereceria uma chamada da Voz do Além. Ontem, Dani perdeu a linha, descendo aos patamares das inconveniências mais depliorável. Se continuar assim, poderá perder grande parcela da simpatia que conquistou até agora. 

Sobre Maria, nada a acrescentar: continuou repetindo à exaustão, sua já cansativa perseguição a MauMau, com aquela medonha fala arrastada de bêbada pedinchona, mendigando alguma migalha de atenção para a sua libido incendiaria, seu tesão explosivo e já faminto, especialmente depois que Diogo passou para o acampamento, privando-a das festinhas da madrugada sob o edredom. Boninho já poderia ter mandado um vibrador para a Meg aplacar o fogo que lhe incendeia a calcinha. 

O casal Adriana/Rodrigão é um vexame absoluto. O cara passa mal nas sessões de beijos insossos com a “ficante de festas”. Ficância que não inclui dançarem juntos, sentarem juntinhos para conversarem e se curtirem, como costumam fazer duas pessoas que estão interessadas em se conhecerem melhor. Quando será que a venda cairá dos belos olhos da linda Miss? Quando irá ela perceber que o cara não é a perfeição” imaginada por seu romantismo adolescente? Que raio de carência aliena a garota, ao ponto de não perceber o que salta à vista de todos deforma insofismável?

 Só explicaria tal atitude se, de fato, ela estivesse obedecendo a um Script traçado por Bonifrates, como condição para entrar no BBB11. Tal situação humilhante aceita por Adriana não condiz com a forma determinada e audaciosa como age em outras situações em que tentam diminuí-la. Que ela se encantasse por MauMau ou por Wesley, sempre atenciosos, educados e carinhosos com ela, eu acharia super normal. Mas, servir de capacho para um pavão narcisista, grosso, sem pegada, que a menoscaba, isto ultrapassa a minha capacidade de compreender. 

Estou garrando uma ojeriza a Rodrigão semelhante a que me inspira Diogo. E tem mais, prefiro Daniel, MauMau e Wesley a Talula, Diana, Janaína, Paulinha e Maria. Do time feminino, ainda fico com Jaqueline e Adriana, as duas menos péssimas do conjunto. Se a turma das “cuecas cor de rosa” estão com propósitos de defenestrar a “turma das calcinhas”, não estão fazendo pior que elas que insistem em perseguir Adriana, por pura inveja. Uns pelos outros, não quero troco. 

E lá vem o Titio com outra tentativa idiota de salvar o que já é um defunto antecipado, com a invencionice do Quarto Negro, certamente inspirado nos metidos de tortura de Torquemada. Se Janaína cair nesta armadilha, o senhor pançudo poderá ter problemas com a claustrofobia da garota. O que mais revolucionaria a casa, seria a entrada de mais um casal se fazendo de participante, com a missão de provocar, dizer verdades, armar barracos, tal como aconteceu com a entrada de Maíra e o outro (não lembro o nome), no BBB9. Eles irritariam tanto, aprontariam de tal forma que deixariam a turma em pé de guerra para eliminá-los. Se não saíssem em um paredão triplo que eliminasse dois, ainda seria melhor. Claro que seria uma pegadinha. Funcionaria mais ainda se fossem dois ex-BBs que soubessem jogar. Se Domini e Tina topassem a parada, seria muito divertido. O Dr. Marcelo e Tatiana (lutadora de box) também teriam potencial para tacar fogo no puleiro.



Nenhum comentário: